Daniel Rodrigo/Reuters
Daniel Rodrigo/Reuters

Bauza é demitido da Arábia Saudita após dois meses e não vai à Copa com o país

Argentino dirigiu seleção apenas em cinco amistosos, com duas vitórias e três derrotas

Estadão Conteúdo

22 Novembro 2017 | 14h26

Durou apenas dois meses a decepcionante passagem de Edgardo Bauza à frente da Arábia Saudita. Nesta quarta-feira, a federação do país confirmou o que vinha sendo especulado nos últimos dias e anunciou a demissão do treinador argentino, às vésperas da Copa do Mundo do ano que vem.

+ Confira o noticiário da Copa da Rússia

Anunciado no dia 14 de setembro, Bauza comandou a Arábia Saudita em apenas cinco amistosos. Teve dois triunfos sobre seleções mais fracas - 5 a 2 sobre a Jamaica e 2 a 0 sobre a Letônia -, mas também acumulou três derrotas - 3 a 0 para Gana, 3 a 0 para Portugal e 1 a 0 para a Bulgária.

A demissão de Bauza chegou a ser anunciada na semana passada por parte da imprensa argentina, mas o treinador se apressou em desmenti-la em entrevista a uma rádio do país. Agora, porém, a federação da Arábia Saudita anunciou a saída do profissional, que viu ruir uma nova tentativa de ir à Copa.

Esta foi a terceira chance para Bauza se garantir no Mundial da Rússia no ano que vem. No meio do ano passado, ele assumiu a seleção argentina em meio às Eliminatórias Sul-Americanas, mas a fraca campanha fez com que fosse demitido em abril. Pouco depois, assumiu os Emirados Árabes Unidos, mas não conseguiu dar a vaga ao país nas Eliminatórias Asiáticas.

A Arábia Saudita, então, parecia ser o destino certo para o treinador ir à Rússia. Até porque ele foi contratado depois de o país ter garantido a classificação, sob o comando do holandês Bert van Marwijk. Mas o desempenho nestas poucas partidas foi suficiente para os dirigentes definirem a demissão.

A federação do país ainda não revelou quem será o substituto de Bauza. Curiosamente, a Sérvia e a Austrália perderam recentemente seus treinadores - Slavoljub Muslin e Ange Postecoglou, respectivamente - que as classificaram para a Copa do Mundo do ano que vem.

Mais conteúdo sobre:
futebol Edgardo Bauza

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.