Marcos Brindicci/Reuters
Marcos Brindicci/Reuters

Bauza mira exemplo no San Lorenzo para aplicar com Lugano

Técnico argentino quer repetir com uruguaio o que fez com Yepes

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

13 de janeiro de 2016 | 07h00

O técnico Edgardo Bauza deve recorrer a exemplos da sua ex-equipe, o San Lorenzo, para organizar o São Paulo de 2016. Assim como o time do Morumbi terá na defesa o veterano Diego Lugano, de 35 anos, a equipe argentina tinha entre os titulares em 2014 o colombiano Mario Yepes, então com 38 anos, que atuou em um sistema com a marcação reforçada para não se expor à velocidade dos adversários.

Yepes chegou ao clube em setembro de 2014, depois do título da Copa Libertadores. O colombiano se tornou titular e foi uma das grandes contratações da diretoria para a disputa do Mundial de Clubes, no Marrocos. Na equipe do San Lorenzo o zagueiro teve boas partidas e contou com a ajuda de um sistema de marcação que deve ser repetido no São Paulo para garantir proteção a Lugano.

O zagueiro de 35 anos é a grande contratação da equipe do Morumbi para 2016, ao deixar o Cerro Porteño depois da aprovação de Bauza para contar com o uruguaio. O técnico aposta que conseguirá montar um esquema com a defesa do São Paulo bem protegida, para que o defensor experiente consiga orientar os demais, sem estar exposto a combates individuais, como fez com Yepes no San Lorenzo.

"A gente vem conversando bastante com o professor (sobre a presença do Lugano). Ele vem nos orientando na formação tática. Quando o adversário estiver com a bola a gente está se compactando mais. Vamos trabalhar muito para diminuir o número de gols sofridos", explicou nesta terça-feira o lateral-direito Bruno.

Neste início de temporada por dois dias seguidos o treinador argentino fez treinos táticos em que manteve os titulares e também a formação tática. O esquema é o mesmo dos tempos de San Lorenzo, com um 4-2-3-1 com dois volantes na proteção e chegadas mais fortes pelo lado direito. Assim como Buffarini, Bruno também é um lateral que gosta de avançar e terá pelo setor o apoio de Michel Bastos, enquanto Gonzalo Verón fazia esse papel em 2014.

A dupla de volantes será de grande importância para dar estabilidade à defesa. No San Lorenzo a dupla Ortigoza e Mercier se destacou na vitoriosa campanha da Libertadores também por conseguir ajudar na criação de jogadas. Pela formação rascunhada por Bauza no São Paulo, quem terá esse papel será Thiago Mendes e Hudson, embora Rodrigo Caio possa aparecer no setor quando Lugano entrar na zaga.

O uruguaio também terá um papel extra-campo importante, como o de liderar os companheiros e atuar como ídolo da torcida em uma temporada marcada pela reformulação depois de um 2015 tumultuado no São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.