Guenter Schiffmann/ AFP
Guenter Schiffmann/ AFP

Bayern revida, faz 5 no Arsenal e encaminha vaga na Liga

Não fosse Petr Cech, ingleses poderiam ter sofrido mais gols

GABRIEL MELLONI, Estadão Conteúdo

04 Novembro 2015 | 19h45

Derrotado pelo Arsenal em Londres há 15 dias, o Bayern de Munique entrou em campo nesta quarta-feira disposto a provar sua superioridade sobre o adversário que tirou sua invencibilidade na temporada. E foi isso que os bávaros fizeram. Com um ótimo primeiro tempo, golearam os ingleses por 5 a 1, em casa, e encaminharam a vaga às oitavas de final da Liga dos Campeões.

O Bayern foi superior durante quase todo o confronto e poderia ter marcado ainda mais, se não fosse a ótima atuação de Petr Cech. Agora, já são 15 partidas na temporada 2015/2016 entre Liga dos Campeões e Campeonato Alemão, com incríveis 13 vitórias. Já o Arsenal viu terminar uma sequência de cinco vitórias entre as competições.

Com isso, parou nos três pontos no Grupo F da Liga dos Campeões e tem sua classificação bastante ameaçada. Está ao lado do Dínamo Zagreb na lanterna da chave, com três pontos cada. O Olympiakos, que bateu justamente o Dínamo por 2 a 1, divide a ponta com o Bayern, ambos com nove pontos. Cada equipe atua somente mais duas vezes nesta primeira fase.

O JOGO

O domínio dos bávaros no confronto desta quarta ficou evidente desde o início. Logo nos primeiros minutos, Alaba tentou de longe e parou em Cech. Mas aos nove, não teve jeito. Thiago Alcantara recebeu pela esquerda e cruzou com precisão na cabeça de Lewandowski, que, em posição legal, desviou no canto esquerdo do goleiro.

No minuto seguinte, o Arsenal chegaria ao empate, mas o gol foi anulado. Özil começou a jogada, rolou para Monreal e foi para a área receber de volta. O alemão, então, desviou com o braço, que estava colado ao corpo, para a rede. O árbitro viu e considerou que o toque foi irregular.

O susto pareceu deixar o Bayern ainda mais ligado e aos 15 minutos, Cech impediu o segundo gol em três oportunidades seguidas: duas com Lewandowski e uma com Alaba. Mas aos 28, Müller marcou. Após cruzamento da direita e chute errado de Coman, o alemão pegou de primeira, sem chance para o goleiro checo.

A vantagem não fez o time da casa estacionar. Pelo contrário, a pressão aumentou ao fim da primeira etapa. Aos 42 minutos, após cruzamento da direita, Müller emendou de direita e Cech fez incrível defesa. No minuto seguinte, Alaba disputou a bola na intermediária, ficou com ela e arriscou no ângulo esquerdo do goleiro, que desta vez não pôde impedir.

O Arsenal não conseguia reagir, e o início do segundo tempo trouxe o mesmo cenário. De volta ao time após longo período afastado por lesão, Robben foi a campo aos nove minutos e marcou logo no primeiro toque na bola. Alaba avançou pela esquerda e cruzou no pé do holandês, que desviou para a rede.

Só então, finalmente, o Bayern diminuiu o ritmo, o Arsenal cresceu e marcou o gol de honra com Giroud, que virou bonito após matar no peito um passe de Sánchez. Mas foi só. Logo, os bávaros recuperaram o comando da partida e ainda marcaram o quinto, novamente com Müller, antes do apito final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.