AP
AP

Bayern faz 5 a 1 no 'freguês' Arsenal e bota pé nas quartas da Liga dos Campeões

Time da Baviera dá um passo importante para evitar a queda no torneio

Gabriel Melloni, Estadao Conteudo

15 Fevereiro 2017 | 19h51

O Bayern de Munique praticamente se garantiu nas quartas de final da Liga dos Campeões nesta quarta-feira, com uma goleada contundente diante do Arsenal. Melhor ao longo dos 90 minutos, o time da Baviera fez 5 a 1 na Allianz Arena e ampliou o pesadelo do adversário em oitavas de final do torneio europeu.

Com o resultado, o Arsenal precisa vencer por 4 a 0 ou por cinco gols de diferença em Londres, no dia 7 de março, se não quiser cair pela sétima vez consecutiva nas oitavas da Liga dos Campeões. O Bayern, por sua vez, deu passo importante para evitar a queda nesta fase do torneio, o que não ocorre desde a temporada 2010/2011.

De quebra, o time alemão manteve a hegemonia diante do Arsenal. De 2005 para cá, esta é a quarta vez que os clubes se enfrentam nas oitavas de final da Liga dos Campeões, e nas três anteriores o Bayern levou a melhor.

No sábado, o Bayern volta a campo para encarar o Hertha Berlin, fora de casa, pelo Campeonato Alemão. Já o Arsenal tentará se reerguer contra o pequeno Sutton United na próxima segunda-feira, também fora de casa, pela Copa da Inglaterra.

O JOGO

O começo foi lento. O Arsenal ficava um pouco mais com a posse, mas o primeiro chute foi do Bayern, de longe, sem grande perigo. Mas foi de fora de área que o time abriu o placar aos 10 minutos. Douglas Costa tocou para Robben, que cortou para o meio e, em sua jogada característica, encheu o pé. A bola foi no ângulo direito de Ospina, que não alcançou.

Apesar da vantagem, o Bayern seguiu em cima, e o Arsenal limitava-se aos contra-ataques. Aos 26, Neuer assustou a torcida em falta cobrada por Özil. Dois minutos depois, saiu o empate. Ajudando a defesa, Lewandowski tentou afastar o perigo na área, mas chutou a sola de Koscielny, e o árbitro marcou pênalti. Sánchez bateu no canto direito de Neuer, que caiu para espalmar. Mas o rebote ficou com o próprio chileno, que teve tempo e espaço para dominar no peito e finalizar cruzado.

O gol fez o Bayern se lançar ao ataque mais uma vez, mas seus atacantes não pareciam em dia inspirado. Lewandowski perdeu duas oportunidades pelo alto. Aos 44, foi Hummels quem jogou rente à trave de cabeça. O castigo quase veio nos acréscimos, quando Özil recebeu enfiada na área e tentou bater com pouco ângulo, mas Neuer defendeu com o pé.

Depois de perder duas oportunidades pelo alto no primeiro tempo, Lewandowski não desperdiçaria outra na etapa final. Logo aos sete minutos, Lahm recebeu pela direita e foi à linha de fundo, de onde cruzou. O atacante polonês subiu alto na disputa com o zagueiro e cabeceou cruzado, sem chance para Ospina.

O gol deixou o Arsenal desnorteado, e o Bayern aproveitou para ampliar somente três minutos depois. Xabi Alonso tocou para Lewandowski, que mesmo sem olhar deu lindo toque de letra para Thiago Alcântara. O meia apareceu sozinho dentro da área e tirou de Ospina.

O time alemão era soberano e encurralava o adversário. Aos 15, Lewandowski recebeu na área e driblou Ospina, mas ficou sem ângulo. Ainda assim, conseguiu cortar o goleiro de novo e bater colocado, no travessão. No rebote, Robben finalizou e Koscielny tirou com a mão, mas o árbitro não viu. Na cobrança de escanteio, Javi Martínez subiu sozinho e cabeceou firme, para grande defesa de Ospina.

A pressão era insuportável, e no lance seguinte finalmente sairia o quarto gol, aos 17 minutos. A zaga do Arsenal não conseguiu afastar o perigo da área, Thiago Alcântara aproveitou e bateu da meia-lua. Um desvio no meio do caminho matou Ospina.

Lewandowski e Robben perderam boas chances para o Bayern na sequência. Ospina, em dia inspirado, ainda impediu o quinto aos 36, em lindo chute de Douglas Costa. Mas aos 42, não teve jeito. A defesa do Arsenal saiu jogando errado, Thiago Alcântara recebeu e tocou para Müller, que cortou o zagueiro antes de marcar de canhota e selar o placar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.