Lukas Barth-Tuttas/EFE
Lukas Barth-Tuttas/EFE

Bayern sofre, mas bate o Hoffenheim e estreia com vitória no Alemão

Jogo foi marcado por intervenções da arbitragem de vídeo, que anulou dois gols do time da casa na vitória por 3 a 1

Estadão Conteúdo

24 Agosto 2018 | 17h54

Hexacampeão e grande favorito para conquistar o título mais uma vez, o Bayern de Munique largou bem na edição 2018/2019 do Campeonato Alemão. Nesta sexta-feira, o time bávaro ficou longe de suas atuações mais brilhantes, mas arrancou na reta final da partida para vencer o Hoffenheim por 3 a 1, na Allianz Arena, em jogo marcado por intervenções da arbitragem de vídeo.

O VAR apareceu duas vezes nos últimos minutos da partida para anular gols de Robben, por invadir a área em cobrança de pênalti de Lewandowski, e Thomas Müller, que usou o braço para balançar a rede. Mas foi justamente na reta final do confronto que o Bayern fez valer sua superioridade técnica sobre o adversário para marcar dois gols - estes validados pela arbitragem - e garantir o triunfo.

Trata-se da sétima vitória bávara seguida em estreias no Campeonato Alemão, no qual o clube exerce uma longa hegemonia. Afinal, desde 2012 todos os troféus da competição permanecem em Munique. A atuação só não serviu para embalar o início de temporada do técnico Niko Kovac, que assumiu o time ao fim da última temporada e teve resultados abaixo do esperado na pré-temporada.

Como nos amistosos e no magro triunfo por 1 a 0 sobre o frágil Drochtersen/Assel, da quarta divisão nacional, na estreia da Copa da Alemanha, o Bayern não teve uma atuação empolgante. Nos primeiros minutos, encontrou muita dificuldade para incomodar o Hoffenheim e só foi abrir o placar pelo alto, aos 22. Kimmich cobrou escanteio pela esquerda e Müller apareceu sozinho na pequena área para marcar.

Sem brilho, os donos da casa ainda deixaram espaços na defesa, e o Hoffenheim só não aproveitou aos 33 porque o brasileiro Joelinton, ex-Sport, perdeu sozinho quase na pequena área. Pouco depois, Alaba teve a chance de ampliar, mas preferiu o cruzamento à finalização e desperdiçou.

No fim da etapa final, o Bayern perdeu Coman, que lesionou o tornozelo e saiu de campo chorando muito. O time não voltou bem do intervalo e sofreu o empate aos 11 minutos. Após jogada confusa pela direita, Szalai ganhou dividida com Boateng na área e finalizou cruzado, sem chances para Neuer.

Sem outra alternativa, o Bayern se lançou ao ataque e seguiu com dificuldades, até os 33 minutos, quando a arbitragem marcou pênalti polêmico sobre Ribéry. Lewandowski bateu, o goleiro Baumann defendeu e Robben marcou no rebote, mas o VAR alertou o árbitro sobre a invasão do holandês. Cobrança repetida e, desta vez, Lewandowski não perdoou: 2 a 1.

O árbitro de vídeo seria novamente protagonista minutos depois, quando Goretzka avançou pela direita, finalizou firme e Müller desviou para a rede. Após ver a imagem do lance, o juiz considerou toque faltoso de mão do atacante e anulou o lance. Mas não faria falta, porque, aos 44, o mesmo Müller recebeu na meia-lua e deu lindo toque para Robben selar o placar.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.