BB abre guerra por futebol de areia

Uma reunião frustrante, nesta quinta-feira, em Brasília, determinou o início de uma guerra jurídica entre o Banco do Brasil (BB) e a Confederação Brasileira de Futebol de Areia (CBFA). A polêmica começou no final de fevereiro, quando a instituição financeira acertou um contrato de patrocínio com a Confederação Brasileira de Beach Soccer (CBBS), mas se recusou a usar a expressão estrangeira, optando pela nacional."Eles foram prepotentes ao extremo e de uma petulância fora do comum", disse o presidente da CBFA, Nereu Maidana. "O Pizzolato (Henrique, diretor de Marketing do BB) chegou a dizer que não quer saber se existem ou não confederações de esportes, porque são todos cartolas que só têm interesse em se beneficiar dos valores econômicos dos patrocínios investidos em seus eventos." Após o insucesso da tentativa de entendimento com o BB, o presidente da CBFA informou que entrará com ações judiciais contra a estatal. De acordo com o dirigente, a instituição financeira assegurou que continuará utilizando a expressão "futebol de areia" com o objetivo de se referir ao beach soccer."O problema é que beach soccer é uma coisa e futebol de areia outra. Possuem regras e formas de disputas diferentes. Eles não entendem isso", frisou Maidana. O presidente da CBFA ainda enfatizou que, além do BB, a Octagon Koch Tavares e a TV Globo (detentores da marca Beach Soccer) também serão notificadas judicialmente para que deixem de utilizar a expressão futebol de areia em eventos do beach soccer.Mas, se no BB o presidente da CBFA não obteve sucesso, em um encontro no Ministério do Esporte obteve apoio para seus projetos. De acordo com o dirigente, o secretário Nacional de Esportes, André Arantes, foi receptivo e se comprometeu em analisar e posteriormente apoiar os projetos da entidade, dentre eles, o Circuito Brasil de Futebol de Areia.Parceria - Pelo projeto de parceria assinado com a CBBS e a Octagon Koch Tavares o BB se compromete a investir em 2005 cerca de R$ 4 milhões (valor não confirmado pela estatal). Em troca, além do desenvolvimento de projetos sociais, as parceiras se comprometem a estampar o logotipo do Banco Popular do Brasil (BPB), subsidiária do BB, nas camisas da seleção brasileira, em placas de publicidade e material de divulgação do "Circuito de Futebol de Areia" - um dos principais eventos da união.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.