BC esclarece bloqueio a dinheiro da MSI

Aparentemente um erro burocrático impediu que o Corinthians recebesse cerca de US$ 2 milhões para pagar algumas dívidas. Segundo informou nesta segunda-feira a assessoria do Banco Central, a instituição financeira que opera em nome da empresa de marketing esportivo MSI - sócia do clube de futebol paulista -, teria preenchido de forma inadequada o Registro de Operações Financeiras (ROF), documento fundamental para concluir uma operação de remessa de dólares do exterior para o Brasil. "Com isso, o sistema automaticamente não realizou o registro da operação de câmbio", disse um porta-voz do BC, que não informou o valor da operação.Assim que ocorrer a adequação do ROF, informou o BC, a operação poderá ser efetivada normalmente com a liquidação do câmbio. O dinheiro remetido ao Corinthians deve ser usado no pagamento de dívidas em atraso do clube.Bloqueio - O comentário inicial era de que o BC havia bloqueado o dinheiro em razão da descoberta de irregularidades na remessa. O banco explicou que não tem fundamento esse rumor, pois a instituição não tem o poder de bloquear recursos remetidos do exterior para o País. A assessoria do BC informou ainda que a operação não teria nenhum vínculo com a compra pelo Corinthians do jogador argentino Carlitos Tevez, considerada a maior operação do futebol brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.