Bebeto diz que vai renunciar à presidência do Botafogo

Dirigente fica revoltado com mais uma derrota do time alvinegro em uma decisão de campeonato

Bruno Lousada e Sílvio Barsetti , O Estado de S. Paulo

24 de fevereiro de 2008 | 19h24

Revoltado com a arbitragem de Marcelo Lima na final da Taça Guanabara, o presidente do Botafogo, Bebeto de Freitas, disse que renunciava ao cargo neste domingo à noite, logo após a derrota de seu time para o Flamengo por 2 a 1. Veja também: Ouça o discurso de renúncia do presidente Bebeto de Freitas Flamengo é campeão da Taça Guanabara com virada: 2 a 1O vice-presidente do clube, Carlos Augusto Montenegro, acreditava ser possível demover Bebeto da decisão. Eles ficaram de conversar nesta segunda-feira à tarde. Num vestiário marcado pela tristeza e pelo choro de vários atletas, os meias Túlio e Lúcio Flávio falaram em nome dos demais colegas. Túlio chagou a pedir que os botafoguenses deixem de acompanhar os jogos do Campeonato Carioca, atribuindo à competição um "vício" incorrigível nas arbitragens. Lúcio Flávio também foi enfático e disse que a torcida alvinegra pode ter certeza de que o "Botafogo não é o time do quase" e que logo vai conquistar um título.Lúcio Flávio também criticou a atuação de Marcelo Lima e quis generalizar os erros contra o Botafogo, no que cometeu pelo menos um erro. "Em todas as decisões dos últimos anos, o Botafogo foi prejudicado pela arbitragem. Isso é coincidência?" No calor da emoção, ele talvez tenha esquecido que na final da Taça Guanabara de 2006, o Botafogo venceu o América com a ‘ajuda’ exagerada do árbitro William Nery de Souza, o que teve grande repercussão na imprensa carioca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.