Bebeto pede licença e deixa a presidência do Botafogo

Cartola não confirma renúncia após final da Taça Guanabara, deixa o Rio e não dará entrevistas

Sílvio Barsetti, O Estado de S. Paulo

25 de fevereiro de 2008 | 19h13

Ainda inconformado com a arbitragem da decisão da Taça Guanabara, Bebeto de Freitas manteve-se irredutível: não quer mais ser o presidente do Botafogo. Mas nesta segunda-feira, em vez de confirmar a renúncia anunciada na noite de domingo, ele preferiu pedir licença do cargo. Isso foi formalizado numa nota oficial, e curta, publicada no site do clube. "Bebeto de Freitas estará a partir de hoje [segunda-feira] fora do Rio de Janeiro, licenciado da presidência do Botafogo de Futebol e Regatas. Ele não concederá entrevistas nesse período e no seu retorno atenderá a imprensa. Bebeto aproveita para agradecer as inúmeras manifestações de carinho enviadas pela torcida do Botafogo", diz o comunicado divulgado pelo clube. As críticas botafoguenses ao árbitro Marcelo Henrique pareceram exageradas para a Comissão de Arbitragem da Federação de Futebol do Rio, que deu nota 7,5 ao juiz do clássico disputado domingo, no Maracanã, quando o Flamengo venceu o Botafogo por 2 a 1 e ficou com o título da Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca. Mas um dos argumentos de Bebeto de Freitas para tomar a sua decisão, de que haveria uma má vontade deliberada da Federação de Futebol do Rio com o Botafogo, não pode ser aplicado ao jogo final da Taça Guanabara. Afinal, o Flamengo sempre esteve nos últimos anos à frente de uma campanha contra a atual diretoria da entidade. E tinha a seu lado o apoio do Botafogo e do América.  Com a ausência de Bebeto de Freitas, que viajou para os Estados Unidos, assume a presidência do Botafogo o vice-presidente Marcos Portela. E o departamento de futebol ficará sob o comando de Carlos Augusto Montenegro. PUNIÇÃOUm dos procuradores do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio, Rogério Calazans Ouro Alves, disse que, a princípio, não vê motivo para denunciar o volante Túlio, do Botafogo, que ainda no vestiário do Maracanã fez um apelo para que a torcida do clube não mais comparecesse aos jogos do Botafogo no Campeonato Carioca, insinuando que a competição é uma farsa. Assim como outros jogadores do time e o próprio Bebeto de Freitas, Túlio também atribuiu a derrota do Botafogo para o Flamengo a erros de arbitragem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.