Beckenbauer diz que Alemanha está pronta para o Mundial

Franz Beckenbauer, presidente do Comitê Organizador da Copa do Mundo, disse nesta segunda-feira que a Alemanha está pronta para receber todas as seleções participantes do Mundial e os milhões de torcedores que estarão no país, entre junho e julho. Restando 39 dias para o pontapé inicial da Copa, Beckenbauer anunciou ainda que todos os problemas de infra-estrutura foram resolvidos. E agradeceu a todos os que trabalharam na organização do evento, desde o dia 6 de julho de 2000, quando a Alemanha ganhou a eleição da Fifa para hospedar a Copa do Mundo de 2006. O Comitê Organizador informou que foram investidos cerca de 1,5 bilhão de euros (R$ 3,9 bilhões) na modernização e construção dos 12 estádios. O governo alemão construiu 370 quilômetros de novas estradas e modernizou a rede ferroviária. Símbolo desses trabalhos faraônicos é a futura estação ferroviária central de Berlim, já apontada como a mais importante da Europa, que será inaugurada com muita pompa no final deste mês. Cálculos do Comitê Organizador apontam que pelo menos três milhões de visitantes estrangeiros desfrutarão na Alemanha, durante a disputa do Mundial. Com o grande fluxo de turistas, a preocupação do governo é a segurança. Autoridades alemãs assumiram o controle total das fronteiras e a OTAN sobrevoará o país com aviões-radares. O espaço aéreo sobre os estádios estará proibido ao tráfego. Os hooligans também estão na mira das forças de segurança. Policiais da Alemanha trabalham em conjunto com seus pares holandeses, britânicos e polacos, cujos torcedores são apontados como os mais violentos. A operação contra os hooligans terá pelo menos 130 membros no comando. Contra toda essa organização elogiada pela Fifa, pesam as denúncias de favorecimento aos patrocinadores e federações na comercialização dos ingressos. A maioria dos bilhetes teria sido direcionada aos sócios da Fifa e confederações nacionais de futebol.

Agencia Estado,

01 Maio 2006 | 18h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.