Beckham diz que invasor do vestiário só disse 'oi'

O meia David Beckham, que por estar contundido foi convidado pelo técnico Fabio Capello para integrar sua comissão na Copa do Mundo, minimizou a invasão de um torcedor no vestiário da Inglaterra após o empate por 0 a 0 com a Argélia, nesta sexta-feira, no estádio Green Point, na Cidade do Cabo.

AE, Agência Estado

19 de junho de 2010 | 18h35

"O torcedor entrou muito tranquilo, disse alguma para mim e saiu. Não houve tensão, nem agressão alguma. Não falou da atuação da equipe, só disse ''oi''", disse Beckham, negando a notícia veiculada pela imprensa inglesa de que o torcedor teria entrado no vestiário para ofender os jogadores pela fraca atuação.

Beckham minimizou o incidente, mas a Fifa avisou ao Comitê Organizador da Copa que a invasão de um torcedor no vestiário é inadmissível e pediu providências à polícia sul-africana.

Além do tal torcedor, os jogadores ingleses receberam a visita dos príncipes William e Harry, que viajaram para a Cidade do Cabo especialmente para assistir a confronto com a Argélia. William, inclusive, chegou a brincar dizendo que a culpa pela invasão era dele, por ter "deixado a porta aberta".

Com dois empates nos dois jogos que disputou, a Inglaterra é uma das decepções do Mundial. A equipe precisa vencer a Eslovênia na próxima quarta-feira para classificar-se às oitavas de final sem depender do resultado do outro jogo do Grupo C, entre Estados Unidos e Argélia.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2010futebolInglaterraBeckham

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.