Eric Espada/AFP
Eric Espada/AFP

Beckham lança time de futebol em Miami que entrará na MLS em 2020

Equipe terá nome e cores escolhidos através de uma votação popular nos próximos meses

Estadão Conteúdo

29 Janeiro 2018 | 21h10

Quatro anos depois de revelar a sua intenção de criar uma equipe profissional de futebol em Miami, nos Estados Unidos, David Beckham pôde, enfim, realizar o seu sonho nesta segunda-feira. Em evento na cidade do sul da Flórida, o ex-jogador inglês apresentou o seu projeto, que foi aceito pela maior liga de futebol do país para entrar na competição a partir de 2020.

+ Donovan deixa aposentadoria e vai jogar no futebol mexicano

Um perfil do novo clube já está ativo nas redes sociais e aparece como "Futebol Miami MLS". O nome é apenas temporário e serve para divulgar a nova agremiação, que terá seu nome e cores escolhidos através de uma votação popular nos próximos meses. Mas já há algumas especulações de opções como Miami United, AC Miami ou Inter Miami.

"Poderíamos escolher um nome básico, mas queremos que os torcedores escolham porque somos um clube do povo", disse David Beckham, que se destacou no Real Madrid, no Manchester United e na seleção da Inglaterra, na apresentação oficial do novo time.

O contrato de David Beckham com a MLS foi fechado em 2014 e a liga lhe deu a opção de comprar uma franquia de expansão por US$ 25 milhões (R$ 79,16 milhões). A oficialização dependia de o ex-jogador inglês garantir um local para a construção de um estádio em uma área central de Miami. O fato acabou por se tornar uma grande dor de cabeça para ele e o grupo de investidores, o que acarretou em uma especulação que haviam desistido da Flórida e migrariam para Las Vegas.

O estádio, localizado ao lado do Miami River, terá capacidade para 25 mil torcedores e não contará com dinheiro público. Atualmente, a MLS está em um processo de expansão e espera chegar a 24 clubes até 2020. Para esta temporada de 2018, a novidade será o Los Angeles FC.

Mais conteúdo sobre:
Beckham

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.