Beijoca, quem diria, hoje lava a louça

Todo dia, de segunda à sábado é religiosamente igual: às 6h Beijoca sai de casa. Toma café da manhã às 7h, assim que chega ao Bahia para ensinar futebol aos meninos de 5 a 15 anos das categorias de base do clube. Às 8h30 começa: todos os fundamentos, defesa, meio, ataque ? esse com carinho especial para quem fez ?cerca de 500 gols? em pouco mais de 20 anos. Às 11h30 faz uma pausa para o almoço e volta a campo às 14h para só sair às 17h. Às 18h30 pode ser visto lavando louça ou à beira do fogão, preparando uma lasanha ? ?para dar uma força? à mulher, Dnair, mãe de Victor Lázaro, de 5 anos, e Maria Marta, de 1 mês. Aos domingos, ele descansa em casa. A vida regrada do maior atacante da história do Bahia é, segundo o próprio, a maior prova de que milagres acontecem.Leia mais no Jornal da Tarde

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.