Reprodução Twitter PSG
Reprodução Twitter PSG

Ben Arfa processa o Paris Saint-Germain após longo período encostado no clube

Jogador cobra indenização de 8 milhões de euros (cerca de R$ 33,5 milhões)

Redação, Estadão Conteúdo

04 de fevereiro de 2019 | 17h57

O meia Hatem Ben Arfa está processando o Paris Saint-Germain, após passar um longo período encostado no clube. O jogador cobra indenização de 8 milhões de euros (cerca de R$ 33,5 milhões) por entender que o time parisiense o impediu de exercer sua profissão ao longo dos 15 meses em que não atuou.

Em entrevista à agência Associated Press, o advogado de Ben Arfa, Jean-Jacques Bertrand, revelou que o processo foi formalmente aberto na última sexta. Ele considerou que o PSG estava "tentando que o jogador cedesse" e "fez de tudo para obrigá-lo a deixar o clube".

Bertrand explicou que o contrato de Ben Arfa previa altas quantias em bônus por desempenho. Portanto, sua condição financeira foi seriamente abalada pela decisão do clube de não utilizá-lo em campo. O processo argumenta que o tratamento do PSG pode ser considerado perseguição em local de trabalho.

Contratado pelo PSG em 2016, Ben Arfa não conquistou seu espaço entre os principais nomes do elenco. Depois de marcar duas vezes nas quartas de final da Copa da França em abril de 2017, ele nunca mais foi utilizado até o fim de seu contrato, em junho do ano passado.

Diante desta situação, o PSG se manifestou e expressou sua confiança para vencer este caso. O clube ainda disse lamentar a "teimosia" de Ben Arfa e de seu advogado.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.