Christian Hartmann / Reuters
Christian Hartmann / Reuters

Benzema critica saída de Zidane do Real e revela ligações com Deschamps antes de retorno à seleção

Atacante ainda demonstra alta confiança em boa campanha da França na Eurocopa

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2021 | 19h47

Demorou, mas Karim Benzema está de volta à seleção francesa. Neste domingo, o atacante do Real Madrid concedeu entrevista coletiva na concentração da equipe, que se prepara para a Eurocopa. Entre diversos assuntos, comentou sobre a saída de Zidane do time espanhol e o seu retorno ao time nacional - ele havia ficado fora desde 2013 por se envolver em um caso de chantagem contra o então colega Valbuena.

Sobre a seleção francesa, o centroavante atribuiu o retorno ao bom desempenho no clube e revelou que falou com o técnico, Didier Deschamps, diversas vezes antes de voltar a aparecer na lista. Meus serviços no clube. É o futebol que fala. Você sempre tem que ser bom no clube, nunca desista. Não importa quem procurou quem. O principal é que conversamos e conversamos. Conversamos sobre futebol, não isso. Conversamos muito, foi muito bem, tivemos uma boa discussão entre homens. O mais importante é que estou no grupo, estou muito feliz por estar aqui, isso é o que importa para mim", disse Benzema.

Ele ainda garantiu ter um bom relacionamento com Deschamps. "A relação de treinador e jogador, nos damos bem. Faz cinco anos? Não quero voltar ao passado, estou no presente. A seleção da França venceu", assegurou.

Sobre Zidane, Benzema lamentou a saída. "Ele é um grande treinador, a nível humano, é o homem perfeito, comigo ele é magnífico. Estou desapontado por ele estar deixando o Real Madrid, mas a vida continua", opinou o atacante. Zidane encerrou sua segunda passagem pelo Real Madrid na última quinta (27/5), após uma temporada sem títulos do clube.

Por fim, o experiente jogador ainda colocou a França como uma das favoritas para a Eurocopa. "Atendendo aos nomes, ao plantel, sim, podemos dizer. Agora você tem que provar isso no campo de futebol, tem que jogar com confiança e respeitar o adversário. Acho que temos uma grande equipe", afirmou, confiante. Ele relembrou que, durante sua ausência, a França foi campeão da Copa do Mundo em 2018 e vice da Euro em 2016.

A França fará dois amistosos, contra País de Gales e Bulgária, antes de estrear na Eurocopa, no dia 15 de junho, contra a Alemanha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.