Juan Carlos Hidalgo/EFE
Juan Carlos Hidalgo/EFE

Benzema se retrata por caso de chantagem: 'Um grande mal-entendido'

À Justiça, jogador diz que tentou ajudar companheiro de seleção

Estadão Conteúdo

02 de dezembro de 2015 | 10h29

O atacante Karim Benzema negou qualquer intenção de prejudicar o meia Mathieu Valbuena no escândalo de chantagem que vem abalando a seleção francesa. Em trechos do seu depoimento à Justiça, divulgados nesta quarta-feira pelo jornal Le Monde, o jogador do Real Madrid garantiu que tudo não passa de um "grande mal-entendido".

"Acredito que tudo é um grande mal-entendido. A princípio, eu só queria ajudá-lo porque já haviam feito algo parecido comigo. E se trata de alguém que joga comigo na seleção da França, é um amigo", dissera Benzema à juíza de instrução de Versailles, Nathalie Boutard.

Por decisão da juíza, o atacante se tornou réu no caso de chantagem que tem como vítima o meia Valbuena por ser considerado um intermediário no contato de um criminoso, seu amigo de infância, com o seu companheiro de seleção. O criminoso alegara que tinha posse de um vídeo íntimo de Valbuena com sua namorada. Seu objetivo era obter dinheiro do meia do Lyon para não divulgar o material.

Em sua defesa, Benzema disse que ficou sabendo do vídeo ao ser informado por um desconhecido, que seria amigo de Karim Zenati. O atacante, então, teria tentado auxiliar Valbuena no desenrolar do caso.

"Quando disse a ele [Valbuena] que havia um vídeo, que poderia contar comigo e que eu poderia ajudá-lo, ele começou a fazer perguntas sobre esse tipo de coisa. Eu disse que tudo dependia dele e que havia alguém que poderia tentar ajudá-lo também. Era Zenati", afirmou Benzema, na audiência com a Justiça francesa.

O atacante do Real Madrid também falou sobre as conversas telefônicas que manteve com Zenati sobre o caso. A juíza encarou como provas contra Benzema as seis conversas telefônicas interceptadas e gravadas pela polícia entre junho, quando do início do caso, e outubro, quando a informação veio à tona. "Você pode perceber como eu falo, eu só falo de ajuda", alegou Benzema.

Em entrevista recente, antes do depoimento à Justiça, o jogador admitira que tinha participado de conversas com os envolvidos no caso. Mas alegara que a suposta intermediação fora feita de forma "inconsciente".

O advogado de Benzema, Sylvain Cormier, nega a responsabilidade de seu cliente, afirmando que ele "não participou da operação de chantagem" e que, aos olhos da Justiça, continua inocente até que se prove o contrário.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBenzemaValbuena

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.