Berlusconi acha difícil manter Kaká no Milan

O Milan terá dificuldade para manter Kaká depois de o Manchester City ter oferecido mais de 100 milhões de euros (cerca de 133 milhões de dólares) pelo craque brasileiro, disse Silvio Berlusconi, dono do clube, neste sábado. A imprensa divulgou que o City, o clube mais rico do mundo, está disposto a pagar 746 mil dólares por semana ao brasileiro, eleito o Melhor Jogador do Mundo pela Fifa e ganhador da Bola de Ouro em 2007. "Nada foi decidido ainda, mas é muito difícil manter alguém que irá ganhar tanto", disse Berlusconi, primeiro-ministro italiano, ao site do jornal La Gazzetta dello Sport's (www.gazzetta.it). "Naturalmente, eu lamentarei se ele sair. No momento, não tenho informações a respeito da negociação." O canal interno de TV do Milan afirmou esta semana que o time do Campeonato Italiano estava considerando a oferta depois que o presidente do clube, Adriano Galliani, se encontrou com dirigentes do Manchester City na terça-feira. "É difícil dizer não para um garoto que tem uma carreira que não vai durar para o resto de sua vida e tem agora perspectivas muito maiores do que as atuais", declarou Berlusconi. "Não podemos aumentar seu salário, que já está no nível máximo. Teríamos de aumentar o de todo mundo e, francamente, isso não é possível. Mas espero que ele permaneça." Berlusconi comparou a situação de Kaká a de Andriy Shevchenko, que retornou ao Milan, heptacampeão da Liga dos Campeões, nesta temporada após ter ido para o Chelsea em 2006. "Gostaria de ser como um irmão mais velho, como fiz com Sheva, para quem eu não pude dizer não quando a oferta para ir para o Chelsea chegou." O Milan terminou em quinto no Campeonato Italiano da última temporada, o que significa que Kaká, transferido do São Paulo em 2003, não irá disputar a Liga dos Campeões este ano, depois de ter liderado o rubro-negro na conquisto do título europeu de 2007. Na quarta-feira, o jogador de 26 anos disse que estava feliz no San Siro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.