Berlusconi diz que será difícil impedir saída de Kaká para o City

'Um clube como o nosso não pode dobrar o salário de um jogador', justifica o chefão do Milan, sobre a oferta

EFE

17 de janeiro de 2009 | 11h33

O proprietário do Milan e chefe do Governo italiano, Silvio Berlusconi, disse neste sábado que será difícil impedir a ida do meia brasileiro Kaká para o inglês Manchester City, embora tenha dito que "nada foi decidido ainda".Veja também:Fernando Torres diz que Kaká não deveria ir para o CityReal Madrid pode entrar na briga por Kaká, diz jornal italianoKaká no Manchester City não preocupa Alex FergusonAncelotti diz que Milan seguirá em frente com ou sem KakáRobinho diz que Kaká é sonho antigo do Manchester City Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão "Não se pode dizer 'não' a um menino que tem pela frente uma carreira que não durará a vida toda e ao qual oferecem salários muito maiores do que o que ganha agora", disse o empresário. Berlusconi respondeu assim às perguntas sobre a oferta por Kaká feita pelo Manchester City, que, segundo a imprensa, teria oferecido 105 milhões de euros ao Milan e 15 milhões por temporada ao jogador durante cinco anos. "Um clube como o nosso não pode dobrar o salário de um jogador porque teríamos que fazer o mesmo com o resto do time", declarou Berlusconi, que disse esperar que o brasileiro fique no Milan e que sentiria "muito" a ida de Kaká para outro clube.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.