Berlusconi encontra empresário tailandês para venda de participação no Milan, dizem fontes

O dono do Milan, Silvio Berlusconi, vai conversar com o empresário tailandês Bee Taechauboul nesta quarta-feira para discutir a venda de uma participação do clube de futebol italiano, de acordo com duas fontes próximas da situação.

PAOLO BIONDI E SIMON WEBB, REUTERS

29 de abril de 2015 | 12h01

Uma fonte ligada ao ex-primeiro-ministro italiano disse que o encontro pode não ser decisivo, mas será "com certeza muito importante".

Uma reportagem do jornal financeiro italiano Sole 24 Ore nesta quarta-feira disse que Bee, que viajou para a Itália no início da semana, planeja apresentar uma oferta de 500 milhões de euros por uma participação de 51 por cento do Milan.

O empresário tailandês faz parte de um consórcio que inclui outros investidores da China e dos Emirados Árabes Unidos, adicionou o jornal. Uma fonte próxima de Bee confirmou o encontro desta quarta-feira, sem elaborar mais sobre o assunto.

Berlusconi comprou o Milan nos anos 1980, mas especulações apontam que ele possa estar pronto para vendê-lo, à medida que o time sofre para competir financeiramente com outras equipes de outras grandes ligas europeias.

O clube perdeu 91,3 milhões de euros em 2014.

Um dos times italianos com mais prestígio e sete vezes campeão europeu, o Milan ganhou o Campeonato Italiano pela última vez em 2011. Desde então, foi obrigado a vender alguns de seus melhores jogadores e está em uma temporada particularmente ruim, em 10º na tabela da Série A.

Caso o acordo de venda seja finalizado, o clube iria seguir os passos do rival local, Inter de Milão, que vendeu 70 por cento das ações para investidores asiáticos em 2013.

Tudo o que sabemos sobre:
FUTITALIANOMILANVENDA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.