Bernardo é esperança de reação do Santos contra Ponte

O Santos vai ter uma importante novidade para tentar voltar a vencer e deixar a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, contra a Ponte Preta, neste domingo, às 18h30, na Vila Belmiro. Bernardo, ex-Cruzeiro, Goiás e Vasco da Gama, contratado por empréstimo em março e que até agora não chegou a completar dois jogos no novo clube, entra como solução para a falta de gols. O meia estreou com atuação discreta no empate por 0 a 0 contra o Bahia, em Salvador, na primeira rodada da competição, e sofreu grave lesão no músculo adutor da coxa nos primeiros minutos do jogo diante do Sport, na Vila Belmiro, dia 27 de maio. O ex-vascaíno volta neste domingo como grande esperança.

SANCHES FILHO, Agência Estado

29 de julho de 2012 | 06h44

Bernardo tanto poderá ser escalado para trabalhar na armação como também para formar a dupla de ataque com Bill. A sua principal missão será quebrar o jejum de quatro jogos do time de DNA ofensivo, mas que tem o pior ataque da competição, com apenas sete gols. Muricy já tentou de tudo para que o time voltasse a fazer gol. Usou, sem sucesso, Miralles, João Pedro, Dimba, Bill e até a nova promessa da base, Victor Andrade, de apenas 16 anos. Agora é a vez de Bernardo.

A única vitória santista no Brasileiro foi contra o Grêmio, dia 8, na Vila Belmiro. Inspirado, Felipe Anderson marcou dois gols e deu passe para os outros dois. O jogo marcou a despedida de Elano, trocado por Miralles, do Grêmio. O argentino realizou apenas um treino, entrou no time e mostrou que não é atacante de área para substituir Alan Kardec e Borges. Bill foi o último a estrear e não conseguiu finalizar nenhuma vez na derrota por 2 a 0 contra o Atlético-MG, quinta-feira, em Belo Horizonte. Ao lado de Bernardo, o ex-corintiano poderá apagar a má impressão contra a Ponte.

O desespero toma conta de Muricy, treinador que não está habituado a trabalhar com reforços tão modestos. Ele concordou com o desmanche do time para reduzir a folha de pagamento porque teve a promessa da chegada de Robinho, Diego, André (ou Rafael Moura) e agora é criticado por uma parcela da torcida por não conseguir formar um time sem Neymar.

Em caso de novo tropeço, ele até poderá desistir de assinar o novo contrato, com vencimento em dezembro de 2013. Além do jogo deste domingo, serão mais três - Náutico, no Recife, Cruzeiro, na Vila Belmiro, e Atlético-GO, no Pacaembu - antes do retorno do maior astro santista, caso o Brasil chegue à decisão do ouro no futebol masculino da Olimpíada.

Como é o 18º colocado (10 pontos, sete gols pró e 11 contra, com aproveitamento de 27.8%) e joga em casa, o Santos será pressionado pelo torcedor que comparecer ao estádio de Vila Belmiro para atacar sempre, o que poderá expor a sua defesa. A Ponte faz campanha regular, com quatro vitórias, quatro empates e quatro derrotas, saldo zero (15 gols marcados e 15 sofridos), com 44.4% de aproveitamento. Como ocupa o meio da classificação, o time de Campinas poderá se fechar na defesa e tentar a vitória no contra-ataque.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoSantos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.