Berti Vogts deixa o comando da seleção do Azerbaijão

O alemão Berti Vogts pediu nesta sexta-feira demissão do comando da seleção do Azerbaijão, apenas quatro dias depois de a equipe ser goleada por 6 a 0 pela Croácia em confronto válido pelas Eliminatórias da Eurocopa de 2016, disputado em Osijek.

Estadão Conteúdo

17 de outubro de 2014 | 11h12

Vogts era o técnico do Azerbaijão desde 2008 e deixa a seleção em último lugar no Grupo H do torneio classificatório, depois de perder seus três primeiros jogos nas Eliminatórias. O nome do seu substituto ainda não foi definido.

A Federação de Futebol do Azerbaijão informou que seu presidente, Rovnag Abdullaev, pediu para Vogts para ficar, mas o alemão "notou com pesar que ele não poderia ver seu futuro na seleção do Azerbaijão" e avaliou que faltou "persistência" aos seus jogadores.

Vogts conseguiu o resultado mais relevante da história da seleção do Azerbaijão ao levá-la ao quarto lugar no seu grupo nas Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo de 2014, ficando à frente da Irlanda do Norte e Luxemburgo e atrás de Rússia, Portugal e Israel.

Como jogador, Vogts venceu a Copa de 1974 pela Alemanha Ocidental. Além disso, em 1996, comandou a Alemanha no título da Eurocopa.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolAzerbaijãoBerti Vogts

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.