Bulent kilic/AFP
Bulent kilic/AFP

Besiktas, da Turquia, anuncia oito casos de coronavírus

Clube não especifica se os contaminados são jogadores ou membros da comissão técnica

Redação, AFP

15 de maio de 2020 | 09h07

O Besiktas, de Istambul, anunciou nesta quinta-feira que identificou oito casos do novo coronavírus após testes realizados nos jogadores e na comissão técnica do clube, um mês após a retomada do campeonato de futebol na Turquia.

"Na quarta-feira, 13 de maio, realizamos um novo teste de controle da covid-19 em todos os nossos jogadores, nossa comissão técnica e os funcionários de nossas instalações", afirmou o clube. "De acordo com os resultados, o vírus foi detectado em oito pessoas", disse o Besiktas no comunicado.

O clube não especificou se os jogadores estão entre os que testaram positivo. Este anúncio pode reforçar a preocupação de jogadores e treinadores na Turquia, quando o campeonato de futebol deve ser retomado em 12 de junho.

Na quarta-feira, o Erzurumspor, uma equipe da segunda divisão, anunciou que havia registrado onze casos do novo coronavírus, incluindo quatro jogadores. "Obrigado Federação! O que vocês esperavam? Hoje, onze pessoas estão infectadas. Em poucos dias, esse número aumentará para 20!", disse Yusuf Acer, zagueiro do clube.

O campeonato turco de futebol está suspenso há dois meses devido à pandemia do novo coronavírus, que causou cerca de 4.000 mortes na Turquia, segundo o último balanço publicado na quarta-feira. 

Apesar da oposição de jogadores e treinadores, como o técnico do Galatasaray, Fatih Terim, a Federação Turca de Futebol (TFF) anunciou em 6 de maio que o campeonato será retomado em 12 de junho, inicialmente com portões fechados.

O presidente do TFF, Nihat Ozdemir, falou da possibilidade de receber público em estádios após algumas rodadas, quando a pandemia estiver controlada.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolcoronavírusBesiktas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.