Bianchi desbanca Maradona como favorito para treinar Argentina

O ex-técnico do Boca Juniors Carlos Bianchi é um dos favoritos à vaga de técnico da seleção argentina, mas Diego Maradona, cuja escolha era inicialmente considerada improvável, também está na disputa pelo cargo. Bianchi, um homem de família discreto conhecido como "vice-rei", recusou o emprego duas vezes no passado, mas a mídia local afirmou que ele já teria dito, informalmente, à Associação Argentina de Futebol (AAF) que aceitaria a proposta desta vez. Sérgio Batista, que comandou a seleção sub-23 na conquista do ouro olímpico, em agosto, o ex-capitão Diego Simeone e Miguel Angel Russo são os outros principais candidatos a sucessor de Alfio Basile. Basile deixou o posto na quinta-feira passada, um dia depois da Argentina perder por 1 x 0 para o Chile, nas eliminatórias da Copa do Mundo de 2010. Em sua passagem pelo Boca, Bianchi venceu o Campeonato Argentino quatro vezes e a Copa Libertadores três vezes. Em enquetes feitas online pelos jornais argentinos, ele aparece como o favorito dos torcedores para assumir a seleção. Bianchi também ganhou o Campeonato Argentino e a Libertadores com o Velez Sarsfield, antes de ser contratado pelo Boca, embora tenha tido passagens mal sucedidas pelos times europeus Roma e Atlético de Madri. Atualmente, ele trabalha como comentarista na televisão, mas permanece em silêncio sobre o assunto -- ao contrário de Maradona, que já deu uma avalanche de entrevistas para demonstrar seu interesse pelo cargo. Na mais recente, o ex-capitão da seleção argentina disse à uma emissora de rádio que Bianchi era o favorito. "Sei que não tenho muitas chances porque Carlos Bianchi está em vantagem nas pesquisas, mas o sonho segue intacto", afirmou Maradona, cujos pontos negativos em sua campanha pela seleção são o temperamento explosivo e a falta de experiência como treinador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.