Bin Hammam pede que Blatter também seja investigado

Acuado por denúncias de suborno, Mohamed bin Hammam resolveu contra-atacar. O dirigente do Catar, que é presidente da Confederação Asiática de Futebol, disse nesta quinta-feira que o suíço Joseph Blatter, seu adversário na eleição à presidência da Fifa na próxima semana, deveria ser investigado pela Comitê de Ética da entidade.

AE, Agência Estado

26 de maio de 2011 | 15h53

Bin Hammam é o único adversário de Blatter na luta pela presidência da Fifa. Mas ele pode ser impedido de disputar a eleição se for condenado pelo Comitê de Ética no domingo, quando será julgado por uma suposta tentativa de compra de votos e porque teria financiado uma reunião com cartolas da Concacaf para promover sua candidatura.

Nesta quinta-feira, Bin Hamman endureceu o discurso e se defendeu das acusações. "Não é coincidência que essas alegações tenham sido feitas poucos dias antes das eleições", disse o dirigente do Catar, insinuando que Blatter estaria articulando para tirá-lo da disputa pela presidência. "Há um plano para forçar que eu retire minha candidatura."

Segundo ele, Blatter foi informado da reunião organizada com os cartolas da Concacaf e não fez objeções. Diante disso, o dirigente do Catar defende que o suíço também seja investigado pelo Comitê de Ética. Do outro lado, o presidente da Fifa apenas lamentou o caso. "Estou triste e chocado. Não me dá nenhum prazer ver Bin Hammam sofrer."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifaBlatterBin Hammam

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.