Blair reclama de preços de entradas no Campeonato Inglês

O primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, criticou nesta terça-feira os preços cobrados pelos clubes de futebol do país, citando a queda de público nos estádios nos últimos anos. "Qualquer um que acompanha o Campeonato Inglês vê que há filas de assentos vazios nos últimos dois anos", disse o líder político em entrevista coletiva dada em sua residência oficial. Blair afirmou que a situação era diferente há quatro ou cinco anos, quando os estádios tinham mais pessoas. "Acho que existem razões muito sensatas, baseadas em decisões de mercado, para que as pessoas se assegurem de que os preços não ultrapassem as possibilidades dos torcedores. É sua decisão, mas acho que a lógica está bastante clara", declarou. Quase 80 deputados assinaram uma moção de censura ao preço das entradas, ao considerarem que os valores ultrapassam as possibilidades econômicas de muitos torcedores. Um jogo do atual bicampeão Chelsea custa cerca de 30 libras (cerca de R$ 125, pouco mais da metade de um salário mínimo no Brasil) nesta temporada. Na próxima temporada, o Campeonato Inglês contará com um novo acordo de direitos de transmissão, por meio do qual serão cobrados 482 milhões de euros (cerca de R$ 1,352 bilhão), dinheiro, que segundo os deputados, poderia ser usado pelos clubes para diminuir o preço das entradas.

Agencia Estado,

27 de fevereiro de 2007 | 19h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.