Sandra Bautista/AFP
Sandra Bautista/AFP

Blanco encerra carreira após ser campeão da Copa do México

Puebla conquista o título ao derrotar o Chivas por 4 a 2, em casa

Estadão Conteúdo

22 de abril de 2015 | 08h42

Cuauhtémoc Blanco, uma das grandes referências do futebol mexicano nos últimos anos, fechou com chave de ouro a sua carreira na noite de terça-feira, quando a sua equipe, o Puebla, conquistou o título da Copa do México ao derrotar o Chivas por 4 a 2, em casa.

A partir desta quarta-feira, Blanco começará uma nova etapa na sua vida, em um campo totalmente diferente: a política. O agora ex-jogador, de 42 anos, é candidato ao cargo de prefeito de Cuernavaca, capital do estado de Morelos.

"Eu estou feliz, não estou triste, mas me sinto nostálgico", disse Blanco após a partida. "É certo que vou sentir falta disso tudo, os companheiros, o futebol, mas estou feliz porque poderei estar todo o tempo com a minha família".

O veterano jogador entrou em campo aos 25 minutos do segundo tempo e esteve perto de marcar um gol no final da partida de terça. Ainda que a despedida tenha vindo sem um glória individual no Estádio Universitario BUAP, em Puebla, o título coroou o fim de uma carreira de 23 anos de sucesso.

Blanco iniciou a sua carreira pelo América do México, clube em que teve quatro passagens, tendo estreado entre os profissionais em dezembro de 1992. Ele também atuou pelos mexicanos Necaxa, Veracruz, Santos Laguna, Irapuato, Sinaloa, BUAP e Puebla. Além disso, defendeu o espanhol Real Valladolid e o norte-americano Chicago Fire

Blanco Foi convocado pela primeira vez para a seleção mexicana em 1995. Ao lado de Chicharito Hernández, é o segundo maior artilheiro da equipe com 39 gols, só sendo superado pelos 46 de Jared Borgetti. Blanco também defendeu a seleção do México em três Copas do Mundo - 1998, 2002 e 2010 - e faturou os títulos da Copa das Confederações de 1999 e da Copa Ouro em 1996 e 1998.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.