Blatter admite pressão para Marin definir técnico

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, admitiu nesta quinta-feira ter pressionado o presidente da CBF, José Maria Marin, para contratar um treinador para substituir Mano Menezes na seleção brasileira antes do sorteio dos grupos da Copa das Confederações, marcado para acontecer neste sábado, em São Paulo. O dirigente suíço disse que não teria sentido o país anfitrião da competição não ter representante na cerimônia.

ALMIR LEITE E PAULO FAVERO, Agência Estado

29 de novembro de 2012 | 12h13

"Se há uma seleção nacional, tem de haver um treinador. No momento em que o técnico da seleção brasileira (Mano Menezes) não está mais na ativa, tem de nomear outro treinador imediatamente", disse Blatter. "O Brasil não fará apenas a Copa do Mundo, fará a Copa das Confederações e, no sorteio, teremos técnicos de todas as seleções. E não teríamos o do Brasil?"

Blatter não revelou quando conversou com Marin, mas foi bem claro na sua disposição de resolver a questão. "Era absolutamente necessário que a liderança da CBF tomasse a iniciativa. Fico contente por a CBF ter tomado a decisão já", disse o presidente da Fifa.

Inicialmente, a CBF tinha informado que o novo técnico da seleção seria anunciado apenas em janeiro. Mas, diante da pressão da Fifa, Marin antecipou o acerto e confirmou na manhã desta quinta-feira a contratação de Luiz Felipe Scolari para substituir Mano Menezes, demitido na última sexta. Assim, Felipão já confirmou presença no sorteio dos grupos da Copa das Confederações, sábado, em São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifaBlatter

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.