Blatter alerta clubes sobre mercado

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, alerta: a maioria dos clubes de futebol no mundo estão em crise e não deveriam colocar suas ações nas bolsas de valores. "Sou contra a iniciativa de que os times tenham suas ações no mercado financeiro. Os resultados dos clubes devem ser mostrados dentro de campo, e não nas bolsa de valores", afirmou Blatter, em uma coletiva para falar da situação financeira da Fifa.Segundo ele, os clubes deveriam pensar duas vezes antes de colocarem suas ações no mercado financeiro. Até agora, clubes da Itália, Inglaterra e Alemanha foram alguns dos que se aventuraram nesta iniciativa financeira. O problema é que, desde meados de 2001, os valores das ações desses times estão despencando e até mesmo as ações do milionário Manchester United valem, hoje, um terço do que valiam em 2000.CONTAS - Blatter ainda afirmou que poucos são os clubes no mundo que conseguiriam ter um resultado financeiro como o da Fifa. Nesta terça-feira, depois de sofrer acusações de má-gerenciamento de recursos e de de corrupção, o presidente da Fifa respondeu aos seus críticos com o anúncio de que a entidade máxima do futebol mundial está com suas contas em dia.Segundo ele, a Fifa teve um superávit de cerca de US$ 88 milhões entre 1999 e 2002 e conseguiu reverter sua própria previsão feita em maio de 2002, de que teria um prejuízo de cerca de US$ 100 milhões ao final do período orçamentário.Blatter classificou os últimos anos como os piores já vividos pela Fifa desde as duas Guerras Mundiais, na primeira metade do século XX.Dois dos problemas mais sérios enfretandos pela entidade foram as falências da ISL e da Kirch, fatos que resultaram na queda de 90% das receitas da Fifa. Além disso, os problemas se multiplicaram quando a empresa Axa desistiu de fazer o seguro da Copa do Mundo de 2002 poucos meses antes da competição.O presidente da Fifa garante que, apesar dos problemas, os ingressos da entidade foram de cerca de US$ 2 bilhões, enquanto os gastos entre 1999 e 2002 somaram pouco mais de US$ 1,9 bilhão. Segundo Blatter, as contas foram aprovadas pelos auditores de uma empresa independente."Hoje, a Fifa está mais estável financeiramente do que nunca", afirmou o presidente da entidade, que anuncia que, para os próximos quatro anos, porém, tanto arredacação como gastos serão menores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.