Themba Hadebe/AP
Themba Hadebe/AP

Blatter cobra punições mais severas a clubes por racismo no futebol

Presidente da Fifa vê como ineficazes as penas em dinheiro

MARK GLEESON, REUTERS

07 de abril de 2015 | 10h30

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, pediu nesta terça-feira punições mais severas contra times e associações por racismo e discriminação e disse que sanções monetárias eram cada vez mais ineficazes.

O estatuto permitia sanções mais severas, que agora tiveram de ser implementadas à medida que a batalha contra "a praga do racismo e discriminação não está sendo vencida", disse Blatter durante congresso da Confederação Africana de Futebol. 

"Temos que punir não só por multas e fechamentos de estádios, mas também usar nossas regras para suspender times, tirar pontos ou até rebaixar de divisão caso o racismo continue", adicionou. 

Blatter deve receber amplo apoio do 54 países do continente africano durante a tentativa de reeleição no próximo mês. 

O dirigente foi recebido com uma calorosa ovação dos delegados africanos, em contraste às críticas que recebeu durante o congresso da Uefa em Viena, no mês passado. 

O presidente da Associação Africana de Futebol, Issa Hayatou, pediu apoio aos membros para Blatter no ano passado, repetiu o pedido para a reeleição do suíço. 

"Ele foi um parceiro legal e na África reconhecemos nossos amigos e oferecemos o que merecem", adicionou Hayatou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.