Blatter crê em melhor Copa e elogia estádios do Brasil

A um ano do início da Copa do Mundo de 2014, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, declarou que está ansioso para acompanhar a disputa do torneio no Brasil e avaliou que a competição pode ser a melhor da história por ser realizada no país mais vezes campeão mundial, o que causa grande expectativa em toda a comunidade esportiva.

AE, Agência Estado

12 de junho de 2013 | 12h17

"Os fãs podem esperar o melhor do melhor. Haverá uma corrida pelos 3 milhões de ingressos. Os torcedores querem sempre esta lá, e ainda mais no Brasil, porque todos querem testemunhar a Copa no país do futebol", afirmou Blatter, em entrevista ao site oficial da Fifa.

O dirigente destacou a beleza dos estádios construídos e reformados para a Copa do Mundo e comemorou a possibilidade de conhecer alguns deles durante a Copa das Confederações. "Eu já vi fotos dos estádios e eu realmente devo felicitar os arquitetos responsáveis pela concepção deles. Eles representam a joia da coroa das respectivas cidades. Estou muito feliz por ter a oportunidade de ir ao Brasil e visitar todas essas cidades", disse.

A Copa das Confederações, entre os dias 15 e 30 de junho, será um importante teste para a Copa do Mundo, sendo realizada em 6 das 12 sedes do torneio de 2014. "É a copa dos campeões, mas também é um belo ensaio para nós", disse Blatter, que evitou comentar detalhes sobre a preparação visando a Copa de 2014. "Falemos da Copa do Mundo depois da Copa das Confederações", pediu.

Para Blatter, a Copa do Mundo vai deixar legados em vários setores do Brasil, além de permitir uma maior união no País. "Tenho certeza de que um dos legados da Copa do Mundo será o de ajudar o Brasil a se tornar um líder em termos de valores sociais e culturais. A Copa do Mundo a ser realizada em uma sociedade tão multicultural é obrigado a unir as pessoas não há diferenças no futebol, as classes sociais não existem", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa de 2014Joseph Blatter

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.