Paulo Whitaker/Reuters - 29/11/2012
Paulo Whitaker/Reuters - 29/11/2012

Blatter critica a Uefa por organizar a Eurocopa 2020 em 13 países

Presidente da Fifa afirma que torneio de seleções vai ficar sem 'coração e alma'

Agência Estado-AP,

14 de março de 2013 | 11h40

FRANKFURT - O presidente da Fifa, Joseph Blatter, criticou a decisão da Uefa de organizar a Eurocopa de 2020 em 13 cidades de 13 diferentes países, dizendo que o importante torneio ficará sem "coração e alma" por contar com diversas sedes, assim como sem uma identidade normalmente proporcionada por uma nação anfitriã.

A realização da competição em um formato itinerante foi uma ideia proposta por Michel Platini, presidente da Uefa, que poderia ser rival de Blatter nas eleições presidenciais da Fifa em 2015. E, ao invés de optar por sediar a Euro de 2020 em uma ou duas sedes, assim como ocorreu na edição de 2012 na competição, disputada na Polônia e na Ucrânia, a entidade que dirige o futebol europeu resolveu "democratizar" a escolha das sedes.

A edição de 2020 da Eurocopa contará com a participação de 24 seleções, mas nenhuma delas conseguirá a classificação automática para a competição por ter uma de suas cidades escolhidas para abrigar jogos, sendo que as semifinais e a final ocorreriam em um mesmo estádio com capacidade para mais de 70 mil lugares. A iniciativa também serviria para diminuir os custos dos torcedores que viajam para acompanhar o torneio de perto, pois a Uefa disse que pretende impor um limite de voo de 2 horas entre as partidas da fase de grupos.

Blatter, porém, foi enfático ao reprovar a Euro com sedes espalhadas pelo Velho Continente. "Um torneio deve ser jogado em um único país, que é como você constrói identidade e euforia", disse o dirigente, em entrevista à revista alemã Kicker, publicada nesta quinta-feira. "O torneio de 2020 foi fragmentado. Não é um campeonato europeu. Ele deve ser chamado de outra coisa, eu não sei do que. A um torneio assim falta alma e coração", completou.

No comando da Fifa desde 1998, Blatter não descartou a possibilidade de concorrer a um novo mandato à frente da entidade em 2015, embora o suíço de 77 anos tenha dito que está pronto para passar o seu posto a outra pessoa daqui a cerca de dois anos. O dirigente, porém, tem sido ambíguo quando questionado se irá ou não lutar para seguir dirigindo o organismo máximo do futebol no futuro.

"Quero avançar com as reformas da Fifa no nosso congresso em Ilhas Maurício, em maio, então vamos ao Brasil para a Copa do Mundo de 2014, e depois disso tudo está em aberto", afirmou Blatter, evitando projetar uma possível disputa com Platini pela presidência da Fifa.

A Uefa confirmou em janeiro passado que a Eurocopa de 2020 será disputada em 13 cidades, em uma ideia que também visa dar oportunidade a países menores do continente europeu a sediar partidas da competição.

As propostas formais das cidades que desejarem abrigar o torneio deverão ser apresentadas até setembro. As sedes serão escolhidas em setembro de 2014. Cada país poderá concorrer com duas candidaturas, uma para a fase de grupos e outra para as semifinais e a decisão do torneio continental.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.