Blatter diz que paradinha no pênalti será proibida

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, condenou nesta terça-feira a paradinha nas cobranças de pênalti e disse que a entidade vai formalizar a proibição da "jogada" num encontro da International Board (conselho vinculado à Fifa), entre o final de outubro e o início de novembro. "Isso é uma maneira de roubar, uma deslealdade", declarou Blatter.

SÍLVIO BARSETTI, Agencia Estado

29 de setembro de 2009 | 19h37

De acordo com o dirigente, o jogador que se utilizar da paradinha num pênalti deve ser punido com cartão amarelo. Em caso de reincidência, teria de ser expulso. "Esse negócio de fingir que vai chutar é uma infração, não é algo justo."

Ele comparou a paradinha com os lances em que o atleta simula ter sofrido pênalti. "Então precisa sim de punição."

Blatter participou de reunião do Comitê Executivo da Fifa, no Rio. O cartão vermelho à paradinha não foi debatido com os delegados da Fifa que passaram três dias na cidade. Mas "já é uma decisão tomada", segundo Blatter. Ele, porém, fez uma ressalva. "Não é o presidente que define isso ou aquilo da regra do jogo. É a International Board, então vamos esperar mais alguns dias."

O dirigente, sempre sorridente e solícito, sentou-se ao lado do presidente da Confederação Brasileira de Futebol, Ricardo Teixeira, e fez até um comentário bem humorado sobre a polêmica. "Tem que parar com a paradinha. Ela não é correta."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifaparadinharegra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.