Arnd Wiegmann / Reuters
Arnd Wiegmann / Reuters

Blatter diz ter novas provas e quer reverter afastamento do futebol

Ex-presidente foi banido por pagamentos indevidos a Michel Platini, então presidente da Uefa

Estadão Conteúdo

02 de fevereiro de 2018 | 13h34

O ex-presidente da Fifa Joseph Blatter garantiu nesta sexta-feira que tem novas provas para apelar contra seu banimento do futebol. O suíço disse que "novos fatos" surgiram e prometeu em breve entrar com ação para interromper os seis anos de suspensão a que foi sentenciado em 2015.

+ Del Nero mostra provas de que não esteve em acerto de propina em Assunção

+ Justiça americana abre novo inquérito sobre corrupção no COI e na Fifa

"Como novos fatos apareceram, é hora de questionar a decisão do Comitê de Ética da Fifa sobre minha suspensão de seis anos", escreveu o ex-dirigente em sua página no Twitter. Perguntado sobre os detalhes das possíveis novas evidências, o porta-voz de Blatter, Thomas Renggli, comentou: "Estamos trabalhando nisso".

Blatter está afastado do futebol até outubro de 2021, depois que a Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) confirmou seu banimento por pagamentos indevidos a Michel Platini. O caso custou a Platini a presidência da Uefa e impediu que ele se candidatasse a suceder Blatter, que também perdeu a presidência da Fifa.

A CAS considerou o suíço "imprudente" por pagar US$ 2 milhões em salários fora de contrato a Platini, mais de oito anos após o francês deixar de trabalhar na Fifa. Blatter também adicionou US$ 1 milhão ao fundo de pensão de Platini de forma ilícita.

Desde sua punição, Blatter se afastou dos holofotes e realizou apenas uma aparição pública, na Rússia, em 2015. A promotoria da Suíça chegou a abrir um inquérito contra o dirigente, mas não houve acusação formal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.