Blatter é reeleito presidente da Fifa

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, ganha mais um ano à frente da entidade máxima do futebol. Neste domingo, durante o congresso extraordinário da Fifa em Doha, os 204 países que formam parte da entidade votaram pela manutenção do suíço até 2007 como presidente. Durante a reunião, a entidade também aprovou sua nova constituição. O objetivo de dar uma ano a mais para Blatter, segundo a Fifa, é deslocar as eleições para um ano em que não ocorra a Copa do Mundo. Em 2002, parte das preparações para o Mundial que foi vencido pelo Brasil, foi ofuscado pelas polêmicas em torno da eleição de Blatter, acusado de corrupção por seus concorrentes. ?Isso não foi um presente para mim, mas a confirmação de que nosso trabalho que estamos fazendo na cúpula da Fifa está sendo aceito?, afirmou Blatter, por meio de uma nota. Antes do início dos debates, o presidente havia dito em seu discurso que a ?família do futebol? havia superado suas diferenças. O mandato, apesar de ter sido prorrogado em um ano para o suíço, continuará sendo de quatro anos para os próximos presidentes da entidades que sejam eleitos a partir de 2007. Nacionalidade - Mas o mandato de Blatter não foi o único tema tratado em Doha. A Fifa decidiu aprovar sua nova constituição que permite que jogadores com menos de 21 anos e que tenham dupla nacionalidade possam escolher o país que queiram representar, mesmo que já tenham atuado com uma das seleções juniores. O objetivo dessa nova lei é permitir que os jogadores de origem africana e asiáticas que vivem na França e Bélgica, por exemplo, possam voltar a seus países para atuar pelas seleções nacionais, mesmo tendo passados por times nacionais sub-21 na Europa. Blatter também saiu vencedor ao conseguir que a Fifa aprovasse suas contas para o período 1999-2002. Nesses anos, apesar dos escândalos e de acusações de corrupção, a gestão Blatter apresentou um superávit de quase US$ 100 milhões. Para o período 2003-2006, a perspectiva é de um superávit de pelo menos US$ 135 milhões. Com tantos poderes e dinheiro em caixa, Blatter aproveitou o congresso para criticar os clubes. Alegando problemas de ?saturação? de futebol, o presidente advertiu que o excesso de partidas jogadas pelas equipes pode prejudicar a saúde dos jogadores e, claro, o interesse das televisões pelos torneios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.