AP
AP

Blatter faz balanço positivo do ano e exalta a Copa: 'Foi a número 1'

Presidente não poupa elogios ao Mundial que, segundo o dirigente, teve 'ambiente cheio de emoção do primeiro ao útlimo jogo'

Estadão Conteúdo

23 de dezembro de 2014 | 16h12

Com o fim do ano se aproximando, o presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, fez um balanço de tudo que aconteceu em 2014. Como não poderia ser diferente, o foco principal foi a Copa do Mundo realizada no Brasil. O dirigente não poupou elogios à competição e garantiu que foi o melhor Mundial que já acompanhou.

"Foi a número 1, sem dúvida a número 1. Falando especificamente sobre o esporte, o futebol que foi apresentado, foi a primeira vez que vi os jogos desta forma. Normalmente, na primeira fase são jogos mais táticos, mas dessa vez tivemos muitos gols, que deram à Copa um aspecto ofensivo, de muitas oportunidades, e de ambiente cheio de emoção do primeiro ao último jogo", disse em vídeo publicado no site da entidade.

Mas os elogios de Blatter não se resumiram ao que foi visto em campo. O presidente da Fifa também fez questão de aprovar a organização, mesmo após tantos atrasos em estádios e obras de infraestrutura. A maior preocupação do suíço era em relação a possíveis protestos e desaprovação social, mas o que se viu, no geral, foi um clima pacífico.

"Foi um grande futebol, uma grande organização. Talvez esperássemos alguns problemas sociais, mas sempre disse que quando a bola começasse a rolar estes problemas estariam acabados. Porque o Brasil é um País de futebol e refletiu isso na organização. Foi incrível", avaliou.

A análise foi entoada pelo secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke. Principal elo entre a entidade e o governo brasileiro ao longo de toda a organização, ele viu de perto os problemas e as dificuldades enfrentadas pelo País, mas no fim também ficou extremamente satisfeito com o Mundial.

"Foi um grande sucesso, um sucesso para os fãs, para todas as pessoas que foram ao Brasil. Todos eles adoraram a atmosfera, já conheciam o Brasil e confirmaram o que o País tem para oferecer ao mundo. Tivemos um grande futebol e um grande campeão", avaliou, exaltando também a campanha da campeã Alemanha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.