Apesar de ser alvo da Justiça, Blatter insiste que não sai da Fifa

Apesar de ser alvo da Justiça, Blatter insiste que não sai da Fifa

'Não fiz nada de ilegal ou indevido', afirma o dirigente

JAMIL CHADE / CORRESPONDENTE EM ZURIQUE, O Estado de S.Paulo

28 de setembro de 2015 | 12h44

Joseph Blatter, presidente da Fifa, anunciou que não vai deixar seu cargo e garante que não fez nada de “ilegal”. O suíço passou a ser alvo de um processo criminal por parte o Ministério Público da Suíça, que o investiga por gestão desleal e apropriação indevida de recursos. 

Blatter está sendo investigado pelo Comitê de Ética da entidade e pode ser suspenso nos próximos dias. Mas, em um comunicado emitido por seus advogados, ele insistiu que fica até o fim de seu mandato, em fevereiro de 2016. “Não fiz nada de ilegal ou indevido”, garantiu o dirigente, por meio de seus advogados.

Uma das acusações se refere ao pagamento de US$ 2 milhões em 2011 para Michel Platini, atual presidente da Uefa e candidato à comandar a Fifa a partir de 2016. Blatter não explica o depósito. Mas garante que se tratou de uma “compensação válida e nada mais”. 

O Estado revelou em sua edição de hoje que a suspeita da Justiça é de que o pagamento seria uma forma de compensação pelo fato de Platini ter desistido de concorrer à presidência da Fifa, em 2011. 

Oficialmente, o pagamento se referia a trabalhos realizados entre 1999 e 2002. Mas que foram pagos nove anos depois. Platini também não explicou a demora pelo pagamento e nem quais foram os serviços prestados por ele. 

Get Adobe Flash player

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.