Steffen Schmidt/AP
Steffen Schmidt/AP

Blatter joga responsabilidade de organização da Copa para o Brasil

Presidente segue estratégia da Fifa de culpar o Governo por quaisquer atrasos ou protestos no País

Jamil Chade, O Estado de S. Paulo

13 de janeiro de 2014 | 15h22

ZURIQUE - Joseph Blatter, presidente da Fifa, joga a responsabilidade por garantir o sucesso do mundial ao governo brasileiro. "Eu joguei a bola para o campo do Brasil", disse hoje em Zurique ao ser questionado pelo Estado.

Nos últimos dias, a direção da Fifa elevou a pressão sobre o Brasil, alertando que os atrasos são os maiores da história e que não há mais como perder um só dia. O Estado apurou que a estratégia da entidade é a de culpar o governo por qualquer tipo de caos que ocorra durante a Copa, seja por conta dos protestos ou por conta dos atrasos nos estádios.

Blatter acredita que já conseguiu atingir seu objetivo em transferir a responsabilidade ao governo. "Estou satisfeito de ver que a presidente Dilma Rousseff aceitou a bola e vai jogar", completou.

Ronaldo Fenômeno, que é um dos integrantes do Comitê Organizador Local da Copa, tentou mostrar que a situação dos seis estádios atrasados vai ser resolvido. "Vamos dar um jeito", comentou hoje em Zurique.

Enquanto a crise entre a Fifa e o governo é evidente, a festa da Bola de Ouro hoje insistia em trazer uma imagem de que tudo está pronto para a Copa. Com o slogan "Todos em um ritmo", a festa cheia de brilho e cores não faz uma só menção aos problemas no Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.