Steffen Schmidt/AP
Steffen Schmidt/AP

Blatter minimiza calor e reconfirma Catar como sede da Copa em 2022

Presidente da Fifa garantiu que Mundial não mudará de data para evitar verão no país

Agência Estado,

21 de março de 2013 | 15h32

ZURIQUE - Joseph Blatter reiterou mais uma vez a realização da Copa do Mundo de 2022 no intenso verão do Catar. Em uma conferência na sede da Fifa, em Zurique, o presidente ainda minimizou as reclamações quanto ao calor, apesar das declarações recentes do médico-chefe da Fifa de que seria mais adequado transferir o Mundial para um local com temperaturas mais amenas no meio do ano.

"As discussões começaram quando a decisão [de sediar a Copa no Catar] foi anunciada. E, de repente, as pessoas perceberam que jogar no verão será muito difícil por causa do forte calor", comentou Blatter, rebatendo os argumentos contra as altas temperaturas da futura sede do Mundial de 2022.

O forte calor vem sendo o principal argumento dos detratores da Copa no Oriente Médio. Algumas das críticas têm forte viés político por causa das suspeitas de corrupção sobre a votação que escolheu o Catar como sede. Denúncias vêm sendo noticiadas por publicações europeias, citando disputas políticas e tráfico de influência no Comitê Executivo da Fifa.

"Não estamos perdendo o controle da Copa do Mundo", afirmou o presidente da Fifa. "[A mudança de sede] Não está na pauta do Comitê Executivo, então a decisão permanece", reiterou Blatter. "Tudo continua na mesma. A Copa é uma competição com 32 times, 64 partidas e deve ser jogada entre junho e julho".

Segundo o dirigente, uma eventual mudança na data ou no local da disputa deve partir dos organizadores locais. "Se houver alguma alteração, deve vir do Catar. Para o Comitê Executivo, segue a decisão tomada em dezembro de 2010", disse, se referindo à data da eleição do Catar.

A decisão de manter a data da Copa do Mundo para junho/julho de 2022 vai de encontro ao parecer do médico-chefe da Fifa. Para Michel D''Hooghe, o mais adequado seria transferir o Mundial para uma data com temperaturas mais amenas - em Doha, capital do Catar, os termômetros registram máximas de até 50ºC em julho.

"Pessoalmente, acho que seria uma coisa boa se pudéssemos jogar esta Copa do Mundo em melhores temperaturas do que as do verão no Catar. Do ponto de vista médico posso dizer que estamos todos preocupados", afirmou o especialista na semana passada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.