Wilton Junior/AE
Wilton Junior/AE

Blatter participa de início da construção da nova sede da CBF

Presidente da Fifa participa da cerimônia do início das obras para o 'quartel-general' da seleção na Copa 2014

EFE

28 de setembro de 2009 | 14h18

O suíço Joseph Blatter, presidente da Fifa, participou nesta segunda-feira do lançamento da pedra fundamental da nova sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no Rio de Janeiro.

Para marcar o início dos trabalhos, Blatter descobriu uma bola de futebol sobre um pedestal no exato local onde ficará a sede, que também abrigará o novo centro de treinamento da seleção.

O dirigente disse estar "muito orgulhoso" por participar da cerimônia e disse que o projeto "no nível" de um "grande país" como o Brasil, com quase 200 milhões de habitantes e no qual o futebol possui "papel importante no aspecto social, cultural e econômico".

O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, destacou que o centro será o quartel-general da seleção para o Mundial de 2014, que será no Brasil.

A nova sede ficará na Barra da Tijuca, perto do local reservado para a construção da Vila Olímpica caso o Rio seja eleito sede dos Jogos de 2016.

A previsão é que em aproximadamente dois anos sejam construídos três campos de futebol, um centro de treino de alto rendimento, um moderno centro de fisioterapia, um edifício para abrigar a sede da CBF e novas dependências para a imprensa, além de um hotel e um museu do futebol.

O local servirá para substituir a Granja Comary, localizada em Teresópolis (região serrana do Rio) e que serviu de base para a equipe nas últimas décadas.

Além do presidente da Fifa, estiveram presentes o paraguaio Nicolás Leoz, à frente da Confederação Sul-Americana (CSF), e os presidentes das federações de futebol da Argentina, Julio Grondona, e da Espanha, Ángel María Villar, além de outras pessoas ligadas ao futebol e autoridades locais.

Blatter está no Rio para uma reunião com os presidentes das confederações continentais e o Comitê Executivo da Fifa, nesta terça-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.