M.A.Pushpa Kumara/EFE
M.A.Pushpa Kumara/EFE

Blatter pede para Europa revisar limite de jogadores estrangeiros

Presidente da Fifa acredita que medida pode fortalecer seleções 

SIMON EVANS, REUTERS

14 de agosto de 2015 | 10h34

O presidente que está de saída da Fifa, Joseph Blatter, quer que a Europa volte a colocar limites mais rígidos para jogadores estrangeiros, dizendo que cada clube deveria ter seis jogadores em sua formação inicial elegíveis para a seleção nacional.

Ainda que a legislação da União Europeia considere tais limites como discriminação por nacionalidade, Blatter acredita que se pode copiar da recente decisão da Rússia de ter cinco jogadores elegíveis para a seleção em campo nas partidas da liga.

"Na minha opinião, este cenário também permanece aberto para a Europa ocidental", escreveu o suíço em sua coluna semanal da Fifa. "Com um pouco de boa vontade, poderemos assumir novamente a ideia de cotas de jogadores estrangeiros e considerar seriamente sua aplicação", acrescentou.

Blatter destacou que a Federação de Futebol da Inglaterra teve muito interesse em abordar a escassez de talentos nacionais na Liga Inglesa e disse que sua tentativa anterior de trazer uma regra "6+5", abandonada em 2010, pode ser viável.

"Na Inglaterra, em particular, a questão segue sendo um tema de muita discussão. Para que a seleção seja capaz de competir de novo no mais alto nível, uma certa 'conservação' dos jogadores nacionais é indispensável", disse.  Blatter deixará o cargo quando o novo presidente da Fifa for eleito, em 26 de fevereiro.

Tudo o que sabemos sobre:
FUTFIFABLATTERESTRANGEIROS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.