Blatter se desculpa por comentários sobre gays

O presidente da FIFA, Joseph Blatter, pediu desculpas nesta sexta-feira pelas suas declarações sobre homossexuais durante a disputa do Mundial de Clubes da Fifa, que terá a sua decisão neste sábado, com o duelo entre Inter de Milão e Mazembe, em Abu Dabi, nos Emirados Árabes.

AE-AP, Agência Estado

17 de dezembro de 2010 | 09h15

O dirigente afirmou que pede perdão a quem se ofendeu por ele ter dito que gays "deveriam se abster de qualquer atividade sexual" no Catar, sede da Copa do Mundo de 2022, pelo fato de o país ter leis severas contra a homossexualidade.

"Se eu feri um grupo ao fazer este comentário, peço desculpas. Não foi minha intenção e nunca será cometer algum tipo de discriminação. É exatamente isso que combatemos. Se alguém ficou ofendido, peço desculpas e me arrependo", afirmou Blatter.

Depois das declarações do dirigente, um grupo internacional que defende os direitos dos homossexuais exigiu uma desculpa oficial da Fifa.

O Catar superou Estados Unidos, Austrália, Japão e Coreia do Sul na briga para sediar o Mundial de 2022, em uma decisão anunciada pela Fifa no último dia 2. E, desde que o país árabe foi anunciado como vencedor, surgiram preocupações pelas normas conservadores da nação, que limita o consumo de bebidas alcoólicas nos hotéis, proibi demonstrações de afeto em público e considera a homossexualidade um tabu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.