Hamad I Mohammed|Reuters
Hamad I Mohammed|Reuters

Blatter será testemunha em recurso de Platini à CAS contra suspensão

O ex-presidente da Fifa é o principal depoente de defesa

Estadão Conteúdo

26 de abril de 2016 | 09h51

Michel Platini espera que Joseph Blatter participe como testemunha na avaliação seu recurso na Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês), na próxima sexta-feira, contra uma suspensão de seis anos imposta pela Fifa. O escritório de Platini confirmou nesta terça-feira que Blatter foi chamado para testemunhar na audiência em Lausanne, na Suíça.

Platini foi suspenso pelo Comitê de Ética da Fifa por ter recebido um pagamento de 2 milhões de francos suíços (aproximadamente R$ 7,3 milhões) em 2011 de Blatter, que era o presidente da Fifa. Blatter também foi suspenso por seis anos e recorreu da punição. A sua ação será ouvida em uma data posterior.

Os dois dirigentes negam qualquer irregularidade, e cada um é efetivamente a principal testemunha de defesa do outro. Eles afirmam que tinham um contrato verbal para Platini receber um salário retroativo pelo trabalho como assessor presidencial de Blatter entre 1999 e 2002.

O secretário-geral interino da Fifa, Markus Kattner, é outra potencial testemunha, pessoalmente ou por videoconferência. Kattner foi de diretor de finanças da entidade por mais de uma década e esteve envolvido com o pagamento a Platini em 2010.

O escritório de Platini disse que as acusações de corrupção e falsificação contra ele foram rejeitadas pelo Comitê de Ética da Fifa, que originalmente solicitou um banimento por toda a vida no ano passado.

Os juízes da comissão apontaram Platini como culpado em dezembro por conflito de interesses e falta de lealdade e impuseram uma suspensão de oito anos. A câmara de apelações da Fifa reduziu a sanção para seis anos como recompensa por seu longos serviços ao futebol.

Ainda assim, um painel da CAS, formado por três membros, irá examinar o caso de novo e tem poder para impor o banimento pelo resto da vida se considerar que houve suborno e corrupção. A Fifa realizou o pagamento a Platini três meses antes de Blatter ser reeleito como presidente.

A audiência na sexta-feira será realizada em francês, apesar da oposição da Fifa e preferência pelo inglês, disse o escritório de Platini. O craque francês prefere evitar falar em inglês em eventos formais.

Platini e a Uefa querem um veredicto mais rápido do que Blatter, para esclarecer a sua posição antes da Eurocopa. O torneio de 24 seleções será realizado a partir de 10 de junho na França. Se Platini não tiver a suspensão revogada, a Uefa poderia organizar em caráter de urgência uma eleição presidencial envolvendo as suas 54 federações.

A descoberta do pagamento encerrou a chance de Platini se tornar presidente da Fifa quando o caso se tornou conhecido em setembro passado, depois que promotores federais suíços abriram uma processo penal contra Blatter. A eleição presidencial da Fifa, há dois meses, foi vencida por Gianni Infantino, braço direito de longa data de Platini na Uefa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.