Washington Alves/AE - 15/6/2011
Washington Alves/AE - 15/6/2011

BNDES libera verba de R$ 400 milhões para o Mineirão

'Crédito foi mais uma demonstração de credibilidade ao projeto', afirmou presidente da Minas Arena

AE, Agência Estado

30 de agosto de 2011 | 14h20

BELO HORIZONTE - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou nesta terça-feira uma linha de crédito no valor de R$ 400 milhões para realização das obras de modernização do Estádio do Mineirão, que será um dos palcos da Copa do Mundo de 2014 em Belo Horizonte.

A Secretaria de Estado Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa) informou, por meio de nota oficial, que o valor será liberado diretamente para a empresa Minas Arena, responsável pela reforma do Mineirão, que depois passará a administrar o estádio durante 25 anos.

"O crédito de R$ 400 milhões foi mais uma demonstração de credibilidade ao projeto, de confiança na viabilidade financeira da obra do Estádio do Mineirão", afirmou Ricardo Barra, presidente da Minas Arena, que negociará nos próximos 30 dias os valores das parcelas que a empresa receberá após negociar o contrato com o BNDES.

A aprovação do BNDES em relação ao Mineirão ocorreu no mesmo dia em que a presidente da República, Dilma Rousseff, prometeu entregar nove dos 12 estádios que vão receber partidas do Copa do Mundo para o fim de 2012. O prazo final previsto pela chefe de Estado foi garantido por Sergio Barroso, secretário da Secopa.

"O contrato é entre o BNDES e Minas Arena. De qualquer forma é mais uma prova do trabalho bem feito de preparação para a Copa que Minas Gerais está fazendo. O projeto do Mineirão, o modelo de PPP (Parceira Público Privada) e o consórcio que realiza a obra são consistentes. Por isso temos tranquilidade de que o Mineirão será reinaugurado em dezembro de 2012", afirmou Barroso.

O Mineirão já está na terceira e última etapa de suas obras visando o Mundial de 2014. Ela teve início em 22 de dezembro do ano passado e a previsão é a de que seja encerrada em 20 de dezembro de 2012. Esta etapa da reforma está orçada em R$ 654 milhões. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.