Suzanne Plunket|Reuters
Suzanne Plunket|Reuters

Funeral de rei do século XV marca ascensão do Leicester na Inglaterra

Time reage após enterro de esqueleto achado em estacionamento

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

16 de abril de 2016 | 17h00

Tirar o esqueleto de um rei de um estacionamento e colocá-lo em uma catedral em Leicester deu sorte à equipe. A curiosa coincidência anima os torcedores na boa fase que parece nortear o caminho rumo ao título inédito.

A virada na história da monarquia inglesa – e na do Leicester – começou em setembro de 2012. Arqueólogos encontraram enterrado metros abaixo de um estacionamento um esqueleto. Durante os meses seguintes pesquisadores da Universidade de Leicester realizaram exames de DNA e estudos para comprovar a identidade do cadáver. E descobriram que se tratava de Ricardo III, o último rei inglês a morrer durante uma guerra.

Em 1485, o monarca foi assassinado durante a Batalha de Bosworth, disputa de dinastias considerada por historiadores um dos marcos do fim da Idade Média. O rei foi retratado em uma das obras do escritor inglês William Shakespeare como um tirano. 

A personalidade controversa de Ricardo III não lhe impediu de ter a descoberta do esqueleto comemorada. A cidade se mobilizou para em março de 2015 organizar um funeral digno de rei. Os restos mortais desfilaram em carruagem, foram saudados nas ruas pelas pessoas e o caixão foi enterrado em uma catedral da Leicester.

Naquela época, o time estava em péssima fase. O último colocado da Premier League tinha perdido 18 dos 29 jogos. Após o funeral, porém, a história mudou de rumo. Nas nove rodadas restantes foram sete vitórias, um empate e apenas uma derrota. A equipe escapou do rebaixamento com folga.

Na temporada seguinte, a boa fase continua. O Leicester é líder com sete pontos de folga e caminha para desfilar tão aclamado pela população da cidade como foi o caixão do rei. “Parece que há mesmo uma coincidência no caso. Nossa cidade tem um grande orgulho de ser a casa do rei”, disse a diretora de marketing do Centro Turístico Rei Ricardo III, Emma Lay.

O local foi inaugurado pouco depois do esqueleto ter sido encontrado. Durante o processo de identificação, torcedores do Leicester e até os donos do clube fizeram doações para que os festejos para o funeral do rei fosse grandioso e compensasse o tempo de esquecimento.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolCampeonato InglêsFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.