Boa vence, respira na Série B e deixa Santa Cruz mais perto do rebaixamento

Time quebra jejum de oito rodadas sem vencer e bate o rival por 4 a 2 no estádio do Melão, em Varginha

Estadao Conteudo

11 Novembro 2017 | 20h02

Na estreia do técnico Sidney Moraes, o Boa quebrou o jejum de oito rodadas sem vitória ao vencer o Santa Cruz por 4 a 2, no final da tarde deste sábado, no estádio do Melão, na cidade mineira de Varginha, pela 35.ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

+ Vila Nova busca empate no Beira-Rio e adia acesso do Inter à elite nacional

+ Veja a classificação da Série B

Com o resultado, o Boa respira na luta contra o descenso, com 43 pontos, enquanto o Santa Cruz, com 33 pontos, sem vencer há 11 rodadas, está virtualmente rebaixado para a Série C, no qual já estão o rival Náutico e o potiguar ABC.

Com os dois times no desespero contra o rebaixamento, o jogo começou movimentado. E com um susto quando Fellipe Mateus dividiu no alto e bateu no cotovelo do grandalhão Guilherme Mattis. O meia do Boa caiu em campo quase desacordado. Foi atendido, tentou voltar duas vezes, mas depois saiu e foi encaminhado a um hospital. Em seu lugar entrou Lucas Hulk.

O Boa parecia mais agressivo e chegou ao primeiro gol. Rodolfo entrou na área em velocidade e acabou derrubado por Wellington Cézar, que perdeu o tempo da bola fazendo o pênalti. Na cobrança, Rodolfo cobrou bem no alto do lado direito de Júlio César, que cair devagar do outro lado. Boa na frente aos 13 minutos.

A vantagem, porém, durou apenas dois minutos. Após escanteio, o goleiro Fabrício saiu errado e a sobra acabou nos pés de Ricardo Bueno que bateu forte. A bola ainda tocou em dois defensores, mas entrou. Tudo igual aos 15 minutos.

O Boa continuou mais agudo. Aos 17 minutos, Reis chutou e Mattis salvou quase em cima da linha de gol. Aos 31 minutos foi a vez de Geandro dar uma bela virada dentro da área e exigir que Júlio César se esticasse para espalmar.

O segundo tempo começou com uma troca no time visitante. O volante Derley entrou no lugar do lateral Walber. Mas o ritmo de jogo diminuiu, apesar da chuva fina tem baixado a temperatura. O Boa fez o segundo gol numa jogada individual de Rodolfo. O zagueiro Anderson Salles não cortou, Rodolfo dominou, tirou o marcador e bateu cruzado. A bola quicou duas vezes e deslizou no canto esquerdo de Júlio César.

Não demorou muito e saiu o terceiro. Rodolfo foi lançado pela esquerda e tentou cruzar, mas a bola teria tocado no braço de Guilherme Mattis. Pênalti marcado. Na cobrança, no entanto, Rodolfo chutou forte no canto direito e rasteiro de Júlio César: 3 a 1, aos 22 minutos. Terceiro gol dele no jogo, quebrando jejum de 10 rodadas sem marcar. Agora tem nove gols, sendo o artilheiro do time mineiro na Série B.

Depois disso, o Santa Cruz, já cansado, se desarticulou. Foi todo ao ataque e abriu espaço para os contra-ataques do Boa. O quarto gol saiu aos 34 minutos, depois que Reis soltou uma bomba pelo lado direito e Júlio César rebateu. Wesley teve calma porque dominou a bola e viu o goleiro e o zagueiro Mattis caídos no chão para apenas dar um toque leve às redes.

Parecia tudo liquidado, mas Grafite ainda aproveitou a falha de Foguinho para chutar da entrada da grande área e diminuir o placar: 4 a 2.

Na próxima terça-feira acontece a 36.ª rodada completa. O Boa vai enfrentar o Luverdense, no Mato Grosso, às 21h30, mesmo horário em que o Santa Cruz receberá o Paraná, no estádio do Arruda, em Recife (PE).

FICHA TÉCNICA

BOA 4 x 2 SANTA CRUZ

BOA - Fabrício; Geandro, Caíque, Douglas Assis e Foguinho; Escobar, Alyson (Wesley) e Fellipe Mateus (Lucas Hulk); Paulinho, Rodolfo (Julio Santos) e Reis. Técnico: Sidney Moraes.

SANTA CRUZ - Julio César; Walber (Derley), Guilherme Mattis, Anderson Salles e Yuri (Bruno Silva); Wellington Cézar, Thiago Primão e João Paulo; André Luis, Ricardo Bueno e Bruno Paulo (Grafite). Técnico: Marcelo Martelotte.

GOLS - Rodolfo, aos 13, e Ricardo Bueno, aos 15 minutos do primeiro tempo; Rodolfo, aos 18 e aos 22, Wesley, aos 34, e Grafite, aos 37 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Paulo Roberto Alves Júnior (PR).

CARTÕES AMARELOS - Escobar e Lucas Hulk (Boa); Bruno Paulo, Júlio César, Guilherme Mattis, Thiago Primão e Grafite (Santa Cruz).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio do Melão, em Varginha (MG).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.