Boa vira sobre o América-MG e quebra jejum de vitórias

O Boa quebrou um jejum de cinco jogos sem vitória ao bater o América-MG por 2 a 1, de virada, nesta terça-feira, no estádio Melão, em Varginha (MG), na abertura da 13.ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. A vitória foi justa porque o time da casa criou muitas chances de gol e agora aparece com 17 pontos, em 11.º lugar. O clube de Belo Horizonte voltou a jogar mal e desperdiçou a chance de assumir a liderança porque estacionou em terceiro lugar, com 26 pontos.

AE, Agência Estado

24 de julho de 2012 | 23h05

Há cinco rodadas sem vencer, a direção do Boa fechou os portões dos treinos nas últimas duas semanas e também impôs e "lei da mordaça" aos jogadores e à comissão técnica, que só falam em dia de jogos. A resposta foi vista em campo, com muita disposição.

O primeiro tempo foi todo do time da casa, que transformou o goleiro Neneca no melhor em campo. Os números comprovam este fato porque o goleiro fez seis grandes defesas, livrando o América-MG da derrota parcial. O Boa atuou com a marcação adiantada, usou bem os laterais e explorou a velocidade dos seus atacantes. Mas encontrou Neneca em noite inspirada.

O América-MG sentiu muito a ausência do atacante Alessandro, com virose, e do meia Rodriguinho, machucado. Com isso, não tinha o domínio da bola e só chegava na frente em ligação direta da defesa-ataque. O técnico

Givanildo Oliveira não alterou o time no intervalo, mas pediu uma mudança de postura. Avançou Sebastian Sciorilli para atuar ao lado de Fábio Júnior e do estreante Rodrigo Pimpão. Estes três atacantes deram mais velocidade ao time, que chegou ao gol aos 10 minutos. Rodrigo Pimpão deu de calcanhar para Pará, que já dentro da área, chutou rasteiro. A bola ainda tocou nas mãos do goleiro Zé Carlos e entrou.

O gol desarticulou o Boa, que passou a errar passes e não chegava mais com perigo para Neneca. O técnico Sidney Moraes ainda tentou recuperar espaço com as entradas dos atacantes Vanger e Jajá, respectivamente, nos lugares de Tiago Alves e Radar. Nessa altura, porém, o América-MG tinha o controle do jogo, não sofria pressão e ameaçava na base da velocidade.

Mas, aos 25 minutos, o Boa empatou. Francismar cobrou falta pelo lado direito e Jajá apareceu na primeira trave para desviar de cabeça, mesmo de costas - a bola encobriu Neneca. O gol reequilibrou as ações do jogo. E, aos 30, o time de Varginha chegou à virada. Em um contra-ataque, Vanger driblou dois adversários e soltou a bomba de canhota. Um golaço, comemorado em excesso por Vanger, que subiu no banco de reservas para festejar com a torcida e recebeu o cartão amarelo.

O placar adverso tirou a calma do experiente time do América-MG, que não mais conseguiu chegar com perigo ao gol do time da casa. A vitória acabou sendo justa.

A 14.ª rodada será toda realizada no próxima terça, dia 31 de julho. O Boa vai sair diante do Ceará, em Fortaleza, enquanto que o América-MG vai receber o Joinville.

FICHA TÉCNICA

BOA 2 x 1 AMÉRICA-MG

BOA - Zé Carlos; Neilson, Gabriel, Tarciano e Radar (Jajá); Claudinei, Radamés, Petros e Francismar; Marcelo Macedo (Jonatas Obina) e Tiago Alves (Vanger). Técnico: Sidney Moraes.

AMÉRICA-MG - Neneca; Boiadeiro, Gabriel Santos, Vinícius Simon e Pará; Agenor (Romão), Leandro Ferreira, Gilberto e Sebástian Sciorilli (Thiaguinho); Rodrigo Pimpão e Fábio Júnior (Cacá). Técnico: Givanildo Oliveira.

GOLS - Pará, aos 10, Jajá, aos 24, e Vanger, aos 30 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Claudinei, Vanger e Petros (Boa); Leandro Ferreira, Boiadeiro e Fábio Júnior (América-MG).

ÁRBITRO - Ricardo Marques Ribeiro (Fifa/MG).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Melão, em Varginha (MG).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.