Boato de morte suspende Lazio x Roma

Há situações que só acontecem na Itália. O clássico entre Lazio e Roma foi suspenso aos 2 minutos do segundo tempo, neste domingo, porque circulou a notícia, no Olímpico, de que um garoto havia morrido atropelado por um carro da polícia nos arredores do estádio. O boato espalhou-se rapidamente pelas arquibancadas e as duas torcidas pediram a seus astros que parassem de jogar. O apelo foi atendido, o que obrigou o árbitro Roberto Rossetti a telefonar para Adriano Galliani, presidente da Liga, antes de optar pela suspensão do jogo, que estava com placar de 0 a 0. A polícia fez duas tentativas de desmentido, ao afirmar, pelos alto-falantes, que não houve atropelamento nem morte, apesar dos incidentes que ocorreram antes do jogo. Ninguém se convenceu, os protestos continuaram, alguns torcedores pularam o alambrado e não houve jeito de fazer com que os atletas voltassem atrás. Eles se sentiram pressionados e ameaçados, porque o coro das torcidas era claro. ?Saiam de campo!? ?Pelo relato do árbitro, era o mais prudente a ser feito naquele momento?, admitiu Galliani, que é também vice-presidente do Milan, líder disparado do campeonato, com 64 pontos, contra 57 da Roma. ?Foi melhor interromper o jogo e marcar outra data para a continuação.? Os responsáveis pela segurança pública, em Roma, não se conformaram com a decisão e lançaram a hipótese de que tudo não passou de armação de uniformizadas, cujas atividades têm sido combatidas. Os jogadores preferiram não arriscar-se.

Agencia Estado,

21 de março de 2004 | 19h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.