Ayrton Vignola/Estadão
Ayrton Vignola/Estadão

Boatos sobre seleção poderiam dar um tilt no Corinthians, diz Tite

'É um momento único, ímpar para o Corinthians. Quero ficar voltado para ele', afirma o técnico

O Estado de S. Paulo

26 de novembro de 2012 | 23h16

SÃO PAULO - Focando no Mundial de Clubes, Tite não quer saber de falar sobre seleção brasileira. Cotado como um dos principais candidatos ao cargo ocupado por Mano Menezes até a última sexta-feira, o técnico do Corinthians tratou de afastar qualquer boato sobre o tema.

"A primeira preocupação que teve foi falar que não tenho nada a ver com isso, estou focado no mundial, não tem coisa maior", disse Tite, em entrevista ao canal Sportv, no programa "bem, amigos!" desta segunda-feira.

"Minha grande atenção era que isso não interferisse no desempenho dos atletas, isso poderia ter sido um tilt nos atletas, e o time foi para campo e jogou bem, com intensidade", contou Tite, se referindo ao empate por 1 a 1 diante do Santos, no sábado.

Para o técnico, os boatos sobre sua ida para a seleção brasileira são fruto do trabalho que fez Corinthians, nestes mais de dois anos no comando do time, com a conquista de um Brasileirão e uma Copa Libertadores.

"Vivo um momento extraordinário no Corinthians, momento que lutei muito. Toda esta história é um reconhecimento. Olho para trás e vejo tudo que eu construí, não nos tornamos competentes de uma hora para outra. Vim lá de baixo, galgando momentos importantes. É um momento único, ímpar para o Corinthians. Quero ficar voltado para ele", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.