Bobô comemora ?primeiro título?

Com apenas quatro meses na profissão de treinador de futebol, o ex-jogador Raimundo Nonato Tavares da Silva, Bobô, conseguiu com um time aplicado e sem estrelas, ser campeão do difícil e competitivo Campeonato do Nordeste, iniciando com pé direito seu novo ofício. Craque consagrado no Bahia, onde foi campeão nacional em 1989, Bobô levou o tricolor baiano a levantar a taça do Nordeste ao empatar por 2 a 2, ontem (12) no Estádio Barradão, a casa do rival, o Vitória. Enfrentou dirigindo o time adversário, o veterano Joel Santana, que assumiu o Vitória uma semana antes da final, logo depois do presidente do clube, Paulo Carneiro ter demitido o técnico Arturzinho."Ganhar um título como técnico é diferente que como jogador, pois dirigindo uma equipe a gente sofre muito mais", disse, após a partida, ressaltando que nas finais o Bahia conseguiu ser mais eficiente embora o Vitória tenha liderado a primeira fase da competição. "Soubemos sair da pressão do adversário que jogava no seu estádio, com inteligência e jogadas bem trabalhadas", orgulha-se, assinalando o fato do Bahia não ter feito grandes contratações, para o torneio (por falta de dinheiro), aproveitando jogadores oriundos da equipe de júniors. Na partida final, o campeão do Nordeste atuou com cinco ex-júniors."O Bahia montou uma equipe modesta, se é que se pode dizer assim, mas de muita qualidade, briosa, um time forte e competitivo com atletas das divisões de base", disse, achando que o Bahia inaugurou uma nova fase com essa estratégia. Segundo Bobô, os seus jogadores assimilaram muito bem sua "proposta de trabalho" e deu uma resposta positiva em campo. A próxima competição que o treinador enfrentará é o campeonato baiano a ser iniciado na quinta-feira. Para o Campeonato Nacional, Bobô, vai pedir a contratação de reforços pois seu elenco é reduzido e não há boas opções de reserva em várias posições.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.