Bobô foge de entrevistas, mas diz que evoluiu na Turquia

'Não consegui aparecer no Corinthians e fazer os gols como queria', reconhece o atacante do Besiktas

Jamil Chade, O Estado de S. Paulo

05 de fevereiro de 2008 | 20h35

O atacante Bobô, que foi convocado pela primeira vez para a seleção brasileira para o amistoso desta quarta-feira, contra a Irlanda, diz que está mais adaptado ao futebol turco do que ao próprio futebol brasileiro. O jogador do Besiktas foi convocado no lugar de Alexandre Pato, que se machucou no jogo de domingo do Milan. No coletivo desta terça, Bobô jogou entre os reservas. Em seu primeiro chute ao gol, a bola saiu pela lateral.   Veja também: Dunga escala time experiente para enfrentar a Irlanda  Técnico Dunga chega e comanda treino do Brasil em Dublin  Gilberto Silva prevê confronto difícil com Irlanda  Investidores sauditas dão as cartas para amistosos da seleção  Estádio de Dublin receberá apenas seu quinto jogo de futebol   Questionado sobre sua fraca performance no Corinthians, clube que defendeu entre 2002 e 2005, explicou que "as características do futebol brasileiro são diferentes". Bobô marcou apenas cinco gols em mais de 60 jogos pelo clube do Parque São Jorge. Na Turquia, foram 39 gols pelo Besiktas, segundo o site do clube. "No Brasil, o estilo de jogo é diferente. Na Turquia me adaptei melhor e de maneira mais fácil", disse. "Não consegui aparecer no Corinthians e fazer os gols como queria", reconheceu.   Bobô admitiu que sua convocação foi uma "grande surpresa" até para ele mesmo. "Isso mostra que o Dunga está observando", concluiu o jogador, que, até pela surpresa, se tornou o principal alvo dos jornalistas. Mas chegou a esnobar a imprensa, evitando falar ao entrar no estádio. Enquanto astros como Robinho, Júlio Cesar, Luís Fabiano davam longas entrevistas, os assessores da CBF foram obrigados a buscar Bobô no vestiário para que falasse com a imprensa.   Dunga insistiu que Bobô tem jogado contra importantes equipes na Europa. "Minha função é observar o futebol em todo o mundo", disse o treinador. O Besiktas foi eliminado na fase de grupos da Liga dos Campeões: ficou em último lugar no Grupo A, que tinha Porto, Liverpool e Olympique de Marselha.   O técnico ainda justificou a convocação alegando que tem como filosofia recuperar todos os jogadores que já passaram pelas seleções de base, caso de Bobô, que jogou o Mundial Sub-20 em 2005. "Já chamamos mais de 50 jogadores", listou. Dunga revelou que dará preferências para os atletas nascidos em 1985, como forma de ter um time mais experiente possível  para Pequim. Bobô nasceu em 1.º de janeiro desse ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.